Notícias

18/05/2017 | A+ A- | 2242 visualizações

Assembleia aprova paralisação no dia 24 de maio

Dia será de atividades em apoio ao “Ocupa Brasília”


Leitura da nota política da direção do Andes-SN, sobre crise política, abriu a assembleia

Foi sob o impacto da atual crise política que a categoria docente da UFSM se reuniu em assembleia na tarde dessa quinta, 18. E como não poderia deixar de ser, a tensão do momento permeou boa parte das discussões. Entre as deliberações, a principal delas foi a aprovação de paralisação das atividades docentes na UFSM no próximo dia 24 de maio. A proposta foi aceita pela plenária por unanimidade e se soma a diversas outras ações ao redor do Brasil nesse dia que está sendo chamado como o “Ocupa Brasília”. Para a ocasião está sendo construído um grande ato na capital federal, no qual devem marchar juntas milhares de pessoas de todo o Brasil. As principais pautas do ato são a derrubada das contrarreformas Trabalhista e da Previdência, e a revogação da lei da Terceirização. A escolha pelo dia 24 foi acordada em reunião na qual estiveram presentes diversas centrais sindicais e pelo fato de que – antes de a instabilidade tomar conta do governo federal – era a data prevista para a votação da Reforma da Previdência.

Em Santa Maria a paralisação dos docentes da UFSM no dia 24 se somará à deliberação dos técnico-administrativos em educação. Em assembleia, os TAEs também decidiram por parar as atividades da categoria na ocasião. Além disso, conforme discutido na assembleia de hoje, ficou definido que será buscada uma agenda unitária de atividades para a data e que deve extrapolar o ambiente da universidade e ser definida pelo conjunto de organizações que compõe a Frente Combativa em Defesa do Serviço Público – que tem reunião agendada para a próxima segunda-feira. Por enquanto a única definição é de que o seminário organizado pela Comissão Paulo Devanier Lauda de Verdade e Memória da UFSM, programada para os dias 24 e 25 de maio, na UFSM, será parte da programação do dia de mobilizações. O seminário, que traz como título “Repressão política nas universidades durante a ditadura: memória e verdade”, acontecerá no Auditório do CCSH (Antiga Reitoria) e conta com o apoio da Sedufsm. Para mais informações sobre o seminário, leia a matéria completa aqui. Além disso, com o objetivo de impulsionar a construção das atividades do dia 24 de maio, ficou definido que que nos próximos dias serão construídas comissões que farão ações de divulgação no campus.

Por fim, outra pauta discutida na assembleia tratou do envio de um ônibus para participação no “Ocupa Brasília”. A proposta de que fosse custeado o transporte para uma comitiva local já havia sido aprovada em assembleia anterior. Contudo, perante a baixa procura por lugares no ônibus, a assembleia dessa quinta concordou em aguardar o encerramento das inscrições e, conforme for o número de interessados, negociar lugares e custos no ônibus que será enviado pela Assufsm.

Andes-SN emite nota sobre crise política

Logo na abertura da assembleia, no ponto dos informes, o vice-presidente da Sedufsm, João Carlos Gilli Martins, leu a íntegra da nota divulgada pela diretoria do Andes-SN a respeito da crise política. No texto o sindicato nacional reafirma a sua postura de combate às contrarreformas do governo federal e ao próprio governo ilegítimo de Michel Temer, e conclama a categoria a novamente tomar as ruas. A nota completa pode ser lida ao final da matéria.

Também sobre a crise política, o vice-presidente da Sedufsm relatou que esforços estão sendo feitos para a realização de uma reunião entre diversas centrais sindicais ainda nessa quinta, e cuja pauta, obviamente, seriam as mais recentes denúncias contra Michel Temer e importantes figuras da base aliada. Gilli também lembrou a plenária da realização de um ato nessa mesma quinta, em Santa Maria, com concentração  a partir das 16h na Praça Saldanha Marinho e cuja cobertura em breve poderá ser conferida aqui no site da Sedufsm.

Por fim, também no ponto dos informes, um assunto escapou rapidamente à temática da crise política. No primeiro deles, o vice-presidente da Sedufsm informou à categoria que a partir de agora, além dos tradicionais plantões da assessoria jurídica às terças-feiras, pela manhã, na sede do sindicato, a equipe do escritório Wagner Advogados atenderá a categoria também às quintas-feiras, no período da tarde, na sede provisória do sindicato no campus da UFSM (uma sala de vidro localizada entre os Auditórios B1 e B2, no prédio 17, anexo B do CCNE).

Confira abaixo a nota política da diretoria do Andes-SN:

Nota política da Diretoria do ANDES-SN

A intensificação da crise do ilegítimo Governo Temer

O reingresso na cena política da classe trabalhadora, explicitado na greve geral do dia 28 de abril, acirrou a crise brasileira que vive mais um capítulo protagonizado pelas disputas de poder entre as frações burguesas. Pressionado pela força das movimentações da classe trabalhadora, que alteraram a correlação de forças na direção de dificultar a continuação da aprovação das contrarreformas, sobretudo após a greve geral de 28 de abril, setores da burguesia junto com a mídia corporativa se adiantam para tentar mudar as peças de transmissão de suas demandas em tempos de crise.

O ANDES-SN tem levantado a bandeira do “Fora Temer” conjugada com a estratégia da greve geral, apostando e construindo na reorganização da classe trabalhadora como único sujeito social capaz de reverter os rumos desastrosos que o neoliberalismo reforçado pela política de conciliação de classes tem conduzido à sociedade brasileira. Neste momento de instabilidade, não podemos hesitar, temos que estar nas ruas com nossas bandeiras de forma organizada e unitária, reforçando o grito de “Fora Temer”, convocando uma nova Greve Geral mais forte, agora de 48h, e defendendo os direitos da classe trabalhadora.

Avaliamos que, nesse momento de acirramento da crise, é fundamental estarmos nas ruas, nos atos pelo Fora Temer e contra as reformas, convocados pelas centrais sindicais e movimentos sociais para essa quinta-feira (18 de maio) em várias cidades do país, seguindo o nosso histórico de unidade de ação. Sobretudo, devemos nos organizar ainda mais para a construção do #OcupeBrasília no dia 24 de maio na direção de ampliar a convocação de uma nova e urgente greve geral!

O ANDES-SN e a CSP-Conlutas conclamam aos trabalhadores e trabalhadoras a intensificar as lutas.

A hora é agora!

Fora Temer!

Derrotar as contrarreformas trabalhista, da previdência e a terceirização!

Nenhum direito à Menos!

Diretoria Nacional do ANDES-SN

Brasília, 18 de maio de 2017


Texto e fotos: Rafael Balbueno
Assessoria de Imprensa da Sedufsm



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet