ATENDIMENTO DA SEDUFSM

A Sedufsm informa que a partir de segunda, 23 de março, a sede do sindicato estará fechada e todos os atendimentos serão realizados de forma remota (online), por tempo indeterminado. Os (as) sindicalizados (as) poderão entrar em contato com a entidade das 8h às 12h e das 14h às 18h através do e-mail sedufsm@terra.com.br ou dos telefones (55) 99614-2696 e (55) 99935-8017.

Sindicato


Espaço Cultural

Reflexões Docentes

Contatos SEDUFSM

(55) 3222 5765

Segunda à Sexta
08h às 12h e 14h às 18h

Endereço

SEDUFSM
Rua André Marques, 665
Centro, Santa Maria - RS
97010-041

Email

Fale Conosco - escreva para:
sedufsm@terra.com.br

Twitter

SEDUFSM

Facebook

SEDUFSM

Youtube

SEDUFSM

Notícias

26/06/2020   26/06/20 09h41 | A+ A- | 221 visualizações

MEC recua em ataque a cotas na pós-graduação e agora tem ministro efetivo

Depois do fiasco de Abraham Weintraub, pasta da Educação passa a ter um militar no comando


Novo titular no MEC: Decotelli é militar da reserva e já presidiu o FNDE na gestão Vélez Rodríguez

O Ministério da Educação revogou a portaria 545, publicada pelo ex-ministro da Educação Abraham Weintraub, que acabava com o incentivo de cotas em programas de pós-graduação nas universidades, institutos federais e Cefet. A decisão de Weintraub ocorreu na véspera de sair, praticamente fugido, do MEC,  e resultou em severas críticas e manifestações contrárias de entidades ligadas à Educação, como o ANDES-SN, do movimento negro, parlamentares, partidos políticos e outros movimentos organizados da sociedade civil. 
 
A nova portaria 559, publicada na terça-feira, 23, no Diário Oficial da União, foi assinada pelo ministro interino Antonio Paulo Vogel de Medeiros e retomou o previsto pela portaria 13 de 2016, que estabelece a política de cotas para negros, indígenas e pessoas com deficiência em cursos de pós-graduação. Demanda antiga do movimento negro, a Leis de Cotas nas instituições federais de ensino na graduação (12.711/2012) faz parte de uma série de políticas afirmativas implementada na última década. A portaria revogada, 13/16, trazia instruções acerca da aplicação da Lei 12.711. Entre elas, que as instituições criassem comissões próprias para discutir e aperfeiçoar as ações afirmativas.

Militar à frente do MEC

Depois de alguns dias com um ministro interino, o MEC ganhou nesta quinta, 25, um titular. O nomeado para comandar a pasta foi Carlos Alberto Decotelli da Silva, com formação acadêmica, mas também oficial militar da reserva da Marinha. Decotelli é considerado uma surpresa para ocupar o cargo à frente da Educação. O nome dele não estava entre os mais cotados, o que pode ter sido uma estratégia do presidente para diminuir o volume das críticas. Decotelli é o primeiro ministro negro do atual governo. Além de ser o terceiro ministro em menos de dois anos à frente da pasta. Na gestão Vélez Rodriguez, Decotelli presidiu o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) por quatro meses. 

Viés economicista

Para Antonio Gonçalves, presidente do ANDES-SN, o perfil do novo ministro demonstra, explicitamente, o viés que pouco a pouco vai prevalecendo no Ministério da Educação.  ''É um viés economicista e militar para conduzir um bem social, um direito conquistado. Certamente, distante do projeto de educação que defendemos, será mais um a desestruturar a educação superior pública'', comentou.

Currículo

Carlos Alberto Decotelli da Silva é bacharel em Ciências Econômicas pela UERJ, Mestre pela FGV, Doutor pela Universidade de Rosário, Argentina e Pós-Doutor pela Universidade de Wuppertal, na Alemanha. Professor de Finanças Nacionais e Internacionais, Análise de Investimentos, Mercado de Capitais e Derivativos, já deu aulas na Fundação Getúlio Vargas (FGV), IBMEC, Febraban e Fundação Dom Cabral.

Fonte: ANDES-SN

Imagem:EBC

Edição: Fritz R. Nunes (Sedufsm)



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2020 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet