ATENDIMENTO DA SEDUFSM

A Sedufsm informa que a partir de segunda, 23 de março, a sede do sindicato estará fechada e todos os atendimentos serão realizados de forma remota (online), por tempo indeterminado. Os (as) sindicalizados (as) poderão entrar em contato com a entidade das 8h às 12h e das 14h às 18h através do e-mail sedufsm@terra.com.br ou dos telefones (55) 99614-2696 e (55) 99935-8017.

Sindicato


Espaço Cultural

Reflexões Docentes

Contatos SEDUFSM

(55) 3222 5765

Segunda à Sexta
08h às 12h e 14h às 18h

Endereço

SEDUFSM
Rua André Marques, 665
Centro, Santa Maria - RS
97010-041

Email

Fale Conosco - escreva para:
sedufsm@terra.com.br

Twitter

SEDUFSM

Facebook

SEDUFSM

Youtube

SEDUFSM

Notícias

09/07/2020   09/07/20 18h06 | A+ A- | 287 visualizações

Sedufsm reforça chamado para Jornada de Lutas em defesa da vida e contra o governo

Nesta sexta, sábado e domingo ocorrerão atos, paralisações e ações nas redes sociais


Direito à quarentena geral com salários e direitos é pauta central da CSP-Conlutas

Esta sexta-feira, 10 de julho, deve iniciar com assembleias nos locais de trabalho e atrasos na produção em todo o país. Trata-se do primeiro dia da Jornada de Lutas convocada por movimentos sociais, partidos políticos e centrais sindicais – dentre essas a CSP-Conlutas, central à qual o ANDES-SN é filiado. Nomeada de “Jornada de Lutas para salvar vidas e o Brasil. Fora Bolsonaro, impeachment já!”, a mobilização se estende da sexta, 10, até o domingo, 12, tendo uma série de atividades virtuais e presenciais previstas. Essa é uma tentativa de ação unitária entre setores da classe trabalhadora e da juventude, insatisfeitos com as políticas negacionistas de Bolsonaro e com o fim do isolamento social nos estados e municípios. Até esta quinta-feira, 9, o Brasil contabilizava 68.055 mortes por Covid-19 e 1.716.196 infectados pela doença.

Maristela Souza, diretora da Sedufsm e integrante da CSP-Conlutas no Rio Grande do Sul, diz que esses três dias de luta expressam claramente ao governo que os trabalhadores seguem atentos e unificados mesmo em meio ao isolamento demandado pela pandemia.

“Os ataques que nós já vinhamos sofrendo agravam-se cada vez mais com esse governo, que não se importa com as vidas perdidas e desconsidera a pandemia. Por isso também o uso da tarja preta, para mostrar que essas vidas importam. Precisamos nos unificar em torno da defesa de todos os nossos direitos, principalmente, neste momento, do direito ao isolamento social com dignidade. Nós, trabalhadores, produzimos toda a riqueza que há no mundo. Agora, precisamos nos isolar com qualidade para protegermos nossas vidas”, diz a docente.

Confira a agenda completa:

Sexta-feira (10/07)

4h – Assembleias e atrasos nos locais de trabalho

9h – Atos e carreatas

11h – Twittaço e ações nas redes sociais

17h – Live nacional Fora Bolsonaro e Mourão

20h – Panelaço Fora Bolsonaro e Mourão

*A CSP-Conlutas sugere que tanto na sexta quanto nos outros dias da Jornada os trabalhadores e a juventude utilizem roupas pretas e coloquem panos pretos em suas residências como forma de protestar contra as vidas perdidas em função da postura negacionista de Bolsonaro com relação à pandemia.

Sábado (11/07)

11h – Plenária Nacional Fora Bolsonaro. Atividade dividida em dois momentos: o primeiro apresentará a campanha “Fora Bolsonaro; impeachment já!”; no segundo, participantes serão divididos em salas virtuais regionais, o que ampliará as possibilidades de debate. Só terão acesso às salas virtuais os participantes previamente inscritos através deste link: https://forms.gle/eJsaBrQzQiiPMvDJ6.

Domingo (12/07)

Todo apoio aos atos que forem ocorrer pelo país. Que sejam tomados os cuidados sanitários recomendados pelos órgãos de saúde – como distanciamento entre as pessoas, máscaras e álcool em gel. Grupos de risco são orientados a ficar em casa.

Posição da CSP-Conlutas

A CSP-Conlutas participa da campanha “Fora Bolsonaro; impeachment já!” com as pautas centrais que vem defendendo nesse período da pandemia: “Em defesa da vida, quarentena geral com garantia de emprego e renda digna para todos. Fora Bolsonaro e Mourão, já”. Também seguirá na luta contra o racismo e o genocídio do povo pobre e em defesa dos trabalhadores de serviços essenciais, que desde o início da pandemia vêm se mobilizando por EPIs (equipamentos de proteção individual) e condições de trabalho.

Hoje o governo de Bolsonaro e Mourão acumula 48 pedidos de impeachment na Câmara dos Deputados.

 

Texto: Bruna Homrich

Arte: Bruno Silva

Assessoria de Imprensa da Sedufsm



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2020 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet