Artigos

Os 80 anos de Fidel Castro

Por:  Sérgio Alfredo Massen Prieb*

No próximo dia 13 de agosto, um dos principais personagens do século XX completa 80 anos, Fidel Castro Ruz. Filho de família burguesa, Fidel tinha tudo para ser mais um rico advogado defensor da ordem e das classes dominantes em Cuba. No entanto, insurgiu-se contra o estado de miséria e exploração imposto à maioria da população cubana, e muito jovem pagou caro por seus ideais, indo parar na cadeia do ditador Fulgêncio Batista, famoso pela crueldade de sua polícia contra os adversários políticos, estes punidos com os maiores requintes de tortura.

O julgamento montado em que o próprio Fidel fez a sua defesa, posteriormente publicada com o título de “A história me absolverá” o condenaria a quase 30 anos de prisão, sendo posteriormente anistiado, mas jamais desistindo de ver sua Cuba livre do imperialismo que a dominava há séculos e da miséria e fome dos trabalhadores cubanos. A partir da revolução de 1959, em que com os demais revolucionários chegam ao poder, Fidel sofreria toda a carga de perseguições, difamações e injustiças. A começar pelas centenas de tentativas de assassinato de que foi vítima por ordens da CIA, e acusações risíveis de ser apenas mais um ditador latino-americano.

O que na verdade os detratores de Castro escondem é que as eleições em Cuba são mais democráticas que as nossas, pois lá não impera o poder econômico, e mesmo que exista um único partido, ninguém necessita ser filiado a partido político para concorrer a qualquer cargo eletivo. Além disso, mesmo sendo um país extremamente pobre, muito em função do bloqueio criminoso imposto pelos EUA há mais de 40 anos, que impede que produtos básicos sejam enviados à ilha, se os trabalhadores brasileiros soubessem como vive um trabalhador cubano, certamente os invejaria. Um bom exemplo é que é o país que mais lê e também o mais alfabetizado da América Latina, sendo que 62% dos jovens entre 18 e 24 anos estão na universidade, enquanto no Brasil este dado não chega nem a 10%.

Em Cuba existe um médico para cada 400 habitantes e o índice de mortalidade infantil é um dos menores do mundo. O gigantesco painel nas proximidades do aeroporto José Martí em Havana, que comoveu até mesmo o papa João Paulo II quando em visita à Cuba, reflete bem isto: “Esta noite, milhões de crianças irão dormir com fome, nenhuma delas é cubana”. Por tudo isso, feliz aniversário, comandante!!!

(Também assinam este artigo Dario Silva e Lilian Vinadé)

(Publicado no Jornal A Razão do dia 31.07.2006)

* UFSM



Compartilhe com sua rede social!

© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet