Artigos

Educação e ética

Por:  Ester Wayne Nogueira e Maria Beatriz de Morais Carnielutti*

Há poucos dias, conversando com uma jovem, ela me disse que lhe causava admiração a forma como eu tratava as pessoas, que por um motivo ou outro, se tornavam inconvenientes, e perguntou-me: como se faz isso? Olhei para ela, moça, bonita, inteligente, competente profissionalmente e respondi “envelhece”. Ela saiu rindo.

Esse fato banal tem me levado a pensar. O Brasil, estatisticamente, está envelhecendo porque as pessoas estão vivendo mais, estará aí à razão de termos perdido a capacidade de indignação? Onde estão os nossos caras-pintadas? Aqueles que levavam às ruas multidões de estudantes, donas de casa e operários, onde andam? A juventude arrastava o povo clamando por moralidade e ética. E, nós mais velhos ficávamos orgulhosos acreditando que havíamos deixado uma herança. Na área educacional, os estudantes lutavam por verbas para educação. As universidades eram públicas e a meta daquelas interioranas eram entrar no ranking das melhores do país.

Hoje me pergunto onde vamos chegar? Qual a meta, com “Renans”, mensaleiros, valérios, Anac? O PAC já está sob suspeita. O governo segura o dinheiro e despudoradamente vai liberando as verbas das cotas parlamentares em troca de favores. Com esta tática de vantagens é que se governa o país.

O REUNI (Programa de Expansão e Reestruturação das Universidades Brasileiras) nasceu com este perfil. Vender ilusões. Para ingressar na carreira de professor é exigido o título de doutor, porém, recebe uma remuneração menor que a maioria dos outros profissionais federais. O Governo, em reuniões para discussão salarial com o ANDES/SN e o SINASEFE, descarta a possibilidade de paridade entre professores Ativos, Aposentados e Pensionistas. Isso é um desrespeito flagrante à Constituição Federal, nossa Carta Magna. Quero fazer esta denúncia publicamente, para que nossos políticos nos digam se nos defenderão ou em quem devemos votar nos próximos pleitos? Ou cantemos com o Paulinho da Viola “desilusão, desilusão, danço eu, dança você...”

(Artigo publicado no jornal A Razão de 01/10/2007)

* SEDUFSM



Compartilhe com sua rede social!

© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet