Artigos

A economia e o economista

Por:  Ricardo Rondinel*

Economia tem a ver com dinheiro. Dinheiro tem a ver com produção. Não há produção sem consumo. Não há consumo sem distribuição. O consumo pressupõe o dinheiro. No Capitalismo, o individuo sem dinheiro não é consumidor. A soma de todos os consumidores forma a demanda. Essa demanda deve ser atendida por uma oferta. No encontro da demanda e a oferta se tem o preço de um bem.

O preço de um bem flutua no mercado. Há mercados competitivos como o de chuchu. Quanto maior a oferta deste bem menor será seu preço. Se faltar chuchu, o preço sobe. A alta neste preço alimenta a inflação. A inflação é um termômetro de como está a temperatura dos preços na economia. Maior temperatura indica que os preços estão subindo. Quanto mais os preços sobem, mais dinheiro é necessário para que circulem os bens na economia. Se houver mais dinheiro que a quantidade de bens disponíveis, os preços poderão subir. O Governo controla a quantidade de dinheiro e o preço do dinheiro, os juros.

O juro é o rendimento do capital financeiro. O lucro é a remunerarão do capital produtivo. Finalmente, o salário é a recompensa pelo trabalho. A soma de juros, lucros e salários formam a Renda da Economia. Sobre esta Renda incidem impostos que são arrecadados pelo Governo. O Governo arrecada impostos e cumpre uma função redistributiva na sociedade. Ao redistribuir renda, o Governo tira dinheiro de uns cidadãos e transfere-o para outros.

A maioria dos outros são os que têm pouco. Alguns nem são consumidores, mas são cidadãos. Cidadãos há em todo o mundo. Mas, no mundo, nem todos são consumidores. Os consumidores mundiais demandam muitos bens. Mas nem todos os bens podem ser produzidos por cada país. Cada país exporta os bens que produz com maior eficiência. Mas também importa os bem que não tem ou não é capaz de produzir. Assim nasce o mercado mundial.

No mercado mundial se compram e se vendem bens. Também se exporta e se importa dinheiro. Dinheiro são moedas. Moedas diferentes pressupõem alguma relação de equivalência. Esta relação é a taxa de câmbio. A taxa de câmbio flutua. Assim como flutuam alguns preços na economia, os chamados competitivos. Outros preços não flutuam, os dos monopólios e os administrados.

Dizem que todo mundo entende de Economia. Assim como todos dão palpite no futebol. Uma coisa é dar palpite. Outra coisa é ter uma Ciência que tem leis para explicar a realidade. É isso que tenta fazer o economista, nas empresas, no governo, nas consultorias. O economista não trata só do dinheiro. Para entender o dinheiro tem que se entender como se produz e se reproduz o capital. Sempre me perguntei por que o 13 de Agosto era o dia do Economista? Pois neste dia nasceu a profissão do economista há 57 anos. Parabéns, economistas!

(Artigo publicado no jornal A Razão do dia 11 de agosto de 2008)

* SEDUFSM



Compartilhe com sua rede social!

© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet