Artigos

Um país ao sabor das elites

Por:  Fritz Nunes*

Nesses tempos bicudos, como dizia o saudoso Mario Quintana, em que grassam os casos de corrupção e, pior que isso, com alto grau de impunidade, a saída, muitas vezes, é o escracho, a ironia. E um dos jornalistas especializados na ironia, até certo ponto chegando ao deboche, é o ex-global Paulo Henrique Amorim.

No seu “conversa afiada” na internet, Amorim destrincha sua verve ferina contra os absurdos do mundo da política. Recentemente, quando da concessão de dois habeas corpus libertando o ‘banqueiro’ Daniel Dantas da prisão em menos de 48h, o jornalista argumentou que o presidente do Supremo Tribunal Federal estaria muito próximo de suprimir as instâncias inferiores do Judiciário para os ricos e poderosos, bastando recorrerem ao STF para terem seus “direitos” garantidos.

Infelizmente, o que se percebe é que, mesmo que tenhamos avançado do ponto de vista de uma cultura democrática, as instituições ainda são permeadas por uma ideologia elitista. Isto se reflete até mesmo nos meios de comunicação, que acabam pautados pelo discurso e pelos interesses dos grupos que dominam a economia e a política. Um bom exemplo desse quadro é o caso Daniel Dantas.

O empresário baiano é um figurão que atua às sombras do poder desde pelo menos o início do governo FHC. Esteve envolvido no imbroglio das privatizações (meados da década de 90) e no escândalo do “mensalão”, em 2005. Mesmo assim, ciosos veículos de comunicação sempre dispostos a investigar tudo sobre o poder, nunca se detiveram a escarafunchar os negócios suspeitos desse cidadão. Por que será? Seria Dantas um poderoso anunciante, com laços fortes espalhados na economia e na política?

O que restou da chamada “Operação Satiagraha”? Um delegado federal afastado e uma histérica discussão sobre o uso de algemas. É impressionante a capacidade que os setores elitizados têm de pautarem o país. Sumiram do noticiário as suspeitas de o Sr. Daniel Dantas ter um esquema de corrupção de nível internacional, aos moldes da máfia, e o tema foi substituído pela pauta dos supostos abusos cometidos pela Polícia Federal. Como diz um outro conhecido jornalista, não devemos esmorecer, pois precisamos “passar o Brasil a limpo”.

* SEDUFSM



Compartilhe com sua rede social!

© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet