Artigos

Até quando?

Por:  Luiz Carlos Nascimento da Rosa*

Até quando vamos conviver com a naturalização de tragédias como Auschwitz, Hiroshima, Nagasaki, Chernobyl, Guantánamo, Iraque, Afeganistão, e a morte de mais de duas centenas de jovens na fatídica Boate Kiss? Até quando vamos ter que assistir a Polícia, a Milícia e Traficantes disputando as almas e os corpos dos moradores da Rocinha e do Complexo do Alemão? Até quando vamos viver como Ostras e sermos uma carapaça e vivermos de máscaras? Até quando aceitaremos o Lobe, a compra de votos e os Políticos corruptos?

Até quando a ganância vai fazer nós vermos passar o transporte coletivo abarrotado de gente que nem porcos que vão para o abate? Até quando vamos aceitar, pacificamente, que seres humanos sobrevivam de restos de comida que pinçam em latas de lixo? Até quando estaremos anestesiados e vamos ver seres humanos dormindo em gélidas calçadas e sob o teto de míseras marquises. Até quando vamos assistir que pais achem natural comprar um tênis de 800 reais para seus filhos, mas acharem caro um livro de 30 reias de uma boa literatura? Até quando vamos ter que conviver com os oportunistas se aproveitarem da ingenuidade alheia e se eximirem de culpas sociais fazendo caridade enquanto que os solidários e generosos são vistos como sujeitos românticos e utópicos?

Até quando vamos aceitar demagogos governantes pagando aviltantes salários para nossos professores? Até quando vamos acreditar que os poderes públicos fiscalizam e nos dão garantias que estamos em segurança nos diferentes espaços de nossa cidade? Até quando acatar que os patrões explorem os trabalhadores para viverem na opulência, no luxo e cada vez mais engordarem suas polpudas contas bancárias? Até quando vamos presenciar seres humanos morarem sob lonas pretas na beira das estradas? Até quando vamos aceitar as imensas filas do SUS e gente morrerem em macas nos corredores dos hospitais públicos?

Até quando vamos ver o mega bilionário Eike Batista receber 7,3 bilhões dos cofres públicos para incrementar sua produção enquanto que uma massa de marginalizados ganha setenta reais por filho do “Brasil Carinhoso” através da Bolsa Escola? Até quando vamos achar natural que um consórcio milionário de empresas recebam 736,8 milhões de dinheiro público para construir uma Usina Hidroelétrica que vai gerar 1.8 mil empregos diretos e 2 mil empregos indiretos? Até quando vamos assistir este governo neoliberal doando 250 milhões para 700 empresas capitalistas em nome do apoio a inovação tecnológica? Até quando vamos assistir o CNPq pagando, com nosso dinheiro, pesquisadores para aprimorar a produção da iniciativa privada? Até quando vamos aturar os ideólogos neoliberais nos categorizando como meros consumidores? Até quando vamos ser massa de manobra do capital e todas as coisas em nossas vidas transformarem-se em estúpidas relações de trocas e mercadorias? Até quando vamos pensar que o amor é démodé e piegas? Até quando vamos espalhar aos quatro ventos que a liberdade do outro vai até onde inicia a minha?

Até onde vamos aturar uma vida egoísta e pragmática e pensar que o que é bom é aquilo que levo vantagem e me é útil? Até quando vamos aceitar viver individualizado? Até quando vamos achar natural, os egoístas dizerem: “que culpa tenho eu” e “que mal tem”? Até quando a generosidade vai ser uma coisa estranha para nossas vidas? Até quando seremos insensíveis e não teremos tempo para, nos coletivos, absorvermos o pulsar silencioso das estrelas e o rodopiar lírico da lua na imensidão silenciosa do universo. Até quando?

(Publicado em A Razão de 05.03.2013)

* UFSM



Compartilhe com sua rede social!

© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet