Artigos

A praça Saldanha Marinho, a arte e os livros

Por:  Luiz Carlos Nascimento da Rosa*

No mês de maio, em Santa Maria, rimamos praça, livro e arte. A Praça Saldanha Marinho, no mês de maio, torna-se o centro nevrálgico da Cultura na “Boca do Monte”, pois as diferentes linguagens das artes tornam-se a mediação da prática social das pessoas que vivem e dão vida a Feira do Livro de Santa Maria. Sob as imensas copas de frondosas figueiras as pessoas andam, excitadas e felizes, em busca de seus delicados e sensíveis objetos de desejos: os livros.

Na Praça Saldanha Marinho dá-se o maravilhoso encontro entre o Poeta e seu leitor, o narrador e seu interlocutor, a harmonia musical e tímpanos aguçados, o Teatro, o Artista e seus espectadores. Os mais diversos tipos de livros, que existem na praça, transformam-se em instrumentos criativos que são capazes de propiciar, para as pessoas em suas confortáveis casas, viagens através do espaço e do tempo. Nos livros, que lemos, vislumbramos as formas de vida do passado, que vivemos ou não, encontramos subsídios para compreender o que estamos estabelecendo como prioridades para o presente.

O livro é, também, um bem cultural que alimenta nosso mundo de sonhos e, ao mesmo tempo, uma imensa nave que poderá nos auxiliar, no presente, na construção de um futuro de superações, transformações para que nossa vida social seja produtora de almas cada vez mais leves. Viajando no tempo, através do livro, vamos nos deparar “Édipo Rei” de Sófocles, “Crime e Castigo” de Dostoiévski, “Hamlet” e “Otelo” de William Shakespeare, clássicos que tratam sobre aquilo que diz respeito aos grandes dramas da alma humana.

Com o livro viajamos para fora do nosso mundo vivido e ao mesmo tempo, o livro, nos guia para adentrarmos de forma profunda para nosso mundo interior e, nesta viajem adquirimos conhecimento para nos entendermos. O livro é uma panorâmica janela que descortina, para nosso pensamento, o plural e paradoxal jardim de nossas vidas e, ao mesmo tempo, vira um vetor que é capaz de virar um guia para nossa travessia da vida cotidiana em busca de um futuro com mais encantamento e generosidade.

A Praça Saldanha Marinho, em maio, vira lugar de livro e agrega pessoas que gosta dos diferentes saberes que nele encontra-se. Em maio, a nossa Praça vira uma bela e singular Ágora grega, pois lá dialogamos sobre livros, cultura, política e, porque não, refletimos sobre o destino de nossa polis. Vida longa a praça, a feira, a cultura e os livros.

(Publicado no Diário de Santa Maria de 09.05.2014)

* UFSM



Compartilhe com sua rede social!

© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet