Artigos

Brasil! Qual é o teu negócio?

Por:  Ester Wayne Nogueira e Maria Beatriz de Morais Carnielutti*

Há poucos dias foi noticiado que a Velhinha de Taubaté havia morrido. Último baluarte da ingenuidade nacional. Morreu como viveu, sentada em uma cadeira na frente da televisão. Pela mídia assisti seu enterro, digno da ilustre senhora. A causa mortis não foi divulgada, uns dizem que foi suicídio, desilusão pelos atuais acontecimentos políticos. Como o escritor Luís Fernando Veríssimo previu, já há comentários que ela tinha contas no exterior. Não se sabe se o que foi divulgado e logo em seguida desmentido é verdadeiro ou tenha sido abafado como forma de manter o foco somente em sua morte. Há especulações sobre as razões que a levaram a agir assim. É provável que tenha sido para agilizar pagamentos de serviços de credulidade.

Como não tenho conta no exterior, vou falar da Previdência. Como diz um dito popular “quando o sino pequeno badala é porque o maior já badalou”. Tornei a ouvir na mídia que há rombo na Previdência e que há necessidade de uma nova “reforma”. Na última, os atingidos foram os Servidores Públicos. Os aposentados e pensionistas do INSS já vêm há anos com os direitos usurpados. Pela lógica, estas duas categorias estariam a salvo na próxima reforma. Deverá atingir os outros ou é um rodízio? Particularmente, não sou fã dele, fico farta antes de iniciarem. Não ouço nada de novo, a razão apresentada é o rombo da Previdência.

Repasso dados do Correio do Povo, de 29/06/05, Seguridade Registra Superávit: “Estudo da ANFIP mostra a existência de um superávit bilionário no sistema de Seguridade Social (Previdência, Assistência e Saúde). A pesquisa comprova que o saldo positivo líquido do sistema de seguridade tem sido crescente, em bilhões: R$ 26,66 (2000), R$ 31,46 (2001), R$ 32,96 (2002), R$ 31,73 (2003), R$ 42,5 (2004)”, ... a principal razão de os números serem diferentes e antagônicos aos do senso comum de déficit da Previdência se deve à tentativa de isolar o Regime Geral de Previdência Social do Sistema de Seguridade e distorcer a composição do seu orçamento.... apenas entre 2003 e 2004 , o governo federal drenou mais de R$ 165 bilhões da Seguridade para engordar o Superávit Primário da União, gerando o propalado déficit”. Nem a Velhinha de Taubaté, que partiu para outra, pode agora dar seu crédito ao que o governo diz. (* Inspiração da música do Cazuza)

* SEDUFSM



Compartilhe com sua rede social!

© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet