Notícias

21/08/2014   21/08/2014 21h18 | A+ A- | 647 visualizações

Nova diretoria do ANDES-SN assume e ressalta desafios

59º Conad iniciou nesta quinta-feira, pela manhã, em Aracaju


Paulo Rizzo assina o termo de posse para a presidência do ANDES-SN

A gestão 2012-2014 do Sindicato Nacional dos Docentes (ANDES-SN), que encerrou oficialmente na manhã desta quinta, 21, durante o 59º Conad, em Aracaju (SE), foi marcada por uma das greves mais longas da história do sindicalismo docente nas universidades, em 2012, quando houve uma unidade em torno da defesa da carreira. Essa foi uma das lembranças da presidente que deixava o cargo, professora Marinalva Oliveira (Sindufap), ao presidente que assumia, professor Paulo Rizzo (UFSC). No balanço apresentado por Marinalva, o destaque para a obtenção do registro definitivo do ANDES-SN e a participação fundamental do sindicato na organização do Encontro Nacional de Educação (ENE). Contudo, apesar dos avanços e conquistas, Marinalva enfatizou que as lutas não são poucas e que os desafios são imensos.

Um dos desafios se refere à luta pela carreira do magistério superior que terá continuidade independente do governo que for vitorioso no processo eleitoral do país. Também nesse patamar de desafios, a resistência frente os setores que combatem e tentam desestabilizar o ANDES-SN, um sindicato que se mantém independente diante de quaisquer governos. E, por essa ótica, destacou a presidente, que na nova gestão ocupará a primeira vice, é fundamental manter a construção da CSP-Conlutas, central sindical que hoje tem cumprido o papel de autônoma em relação ao governo e aos patrões.

No que se refere ao ENE, em que pese o balanço positivo do evento que ocorreu no Rio de Janeiro com mais de duas mil pessoas, Marinalva Oliveira enfatizou que a mobilização e o debate em torno de um projeto de educação com base no interesse da maioria da população precisam continuar. Segundo ela, é preciso fazer um contraponto ao avanço dos interesses mercantis da educação, que ganharam espaço a partir do Plano Nacional de Educação (PNE) aprovado pelo Congresso Nacional, sob a batuta governista.

Homenagem

 Um dos momentos mais emocionantes da abertura do 59º Conad, que até o início da tarde desta quinta, foi a homenagem feita ao secretário-geral que deixava o cargo, professor Márcio Antônio de Oliveira (Apes-JF), que já presidiu a entidade e é uma destacada referência no movimento docente. Durante a mesa de abertura houve uma interrupção na cerimônia para que imagens históricas de Oliveira fossem projetadas.

Para Paulo Rizzo, que coordenou a homenagem, ela deveria simbolizar não somente um agradecimento daqueles que deixavam a diretoria, mas também uma homenagem dos que estavam chegando. Conforme Rizzo, a história de Márcio Oliveira se confunde com a própria história do ANDES-SN e sublinhou que o sindicato passa por uma renovação em seus quadros, mas sem perder a referência histórica.

Para o presidente, que foi empossado junto com o total de 83 diretores na manhã desta quinta-feira, o ANDES-SN precisa dar continuidade ao seu papel histórico e que para isso, se faz necessário refletir sobre a organização política. Dessa forma, debates que serão travados no Conad, como o que tratará do organograma dos congressos, são de extrema relevância. “O sindicato não está pronto, ele se mantém em processo de construção”, enfatizou Rizzo.

Participações sindicais e estudantis

A mesa de abertura do 59º Conad esteve composta por diversas entidades ligadas ao movimento sindical e estudantil de Sergipe, bem como de entidades nacionais tais como o Sinasefe, a ANEL e a CSP-Conlutas. Destaque para Paulo Barela, que falou pela central sindical. Conforme o sindicalista, é fundamental a presença do ANDES-SN na CSP-Conlutas, especialmente numa conjuntura desfavorável para os trabalhadores, a partir da crise internacional que já ocasiona grandes reflexões na política econômica do país. Independente do governo que ganhe as eleições, Paulo Barela antevê um cenário de bastante dificuldade, em especial para o setor público.

Quilombolas

Na abertura do encontro, a participação animada do grupo artístico quilombola “Samba de Pareia da Mussuca”. Oriundos de Laranjeiras, Sergipe, que fica a 23 km de Aracaju, o grupo de mulheres deu um show à parte resgatando a dança, a música e a cultura dos afrodescendentes. O coletivo se reúne há 20 anos para promover esse tipo de resgate histórico e cultural. O samba de pareia é uma forma de expressão que tem por objetivo comemorar o nascimento do indivíduo dentro da comunidade.

Sedufsm

Até o início da tarde desta quinta-feira estavam presentes 190 professores no 59º Conad. A Sedufsm está representada pelo presidente, professor Adriano Figueiró, que é delegado da entidade no Conad, e mais os professores Getulio Silva Lemos (Sedufsm) e Adriana Zecca (Cesnors/FW), ambos na condição de observadores. O tema central do evento é “Luta em defesa da educação: autonomia da universidade, 10% do PIB exclusivamente para a educação pública”, além de exercer o papel de conselho fiscal. Nesta sexta ocorrem reuniões nos grupos mistos, que continuam no sábado pela manhã. Já no sábado, turno da tarde e da noite, ocorrem plenárias, assim como no domingo pela manhã. No domingo à tarde haverá a plenária de encerramento.

Texto e fotos: Fritz R, Nunes

Assessoria de imprensa da Sedufsm



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet