Notícias

31/01/2017   31/01/2017 11h59 | A+ A- | 1072 visualizações

ANDES-SN cria comissão de ética para analisar assédio em eventos

Decisão foi tomada após manifestações que ocorreram durante o 36º Congresso


Cartazes manifestam repúdio contra assédios durante o Congresso de Cuiabá

Após diversas denúncias de assédio sexual durante o 36° Congresso do ANDES-SN, que ocorreu entre 23 a 28 de janeiro na cidade de Cuiabá (MT), a diretoria do Sindicato Nacional aprovou a criação de uma Comissão de Ética para apurar os casos de assédio e abuso sexual e moral nos espaços de debate e luta do Sindicato Nacional e dar os devidos encaminhamentos.

De acordo com Caroline de Araújo Lima, 1ª vice-presidente da Regional Nordeste III e da coordenação do Grupo de Trabalho de Política de Classe para as questões Etnicorraciais, Gênero e Diversidade Sexual (GTPCEGDS), o intuito da Comissão de Ética é combater e coibir os casos de assédio e outros tipos de violência nestes espaços do Sindicato Nacional, mas também promover ações de consciência e formação com os docentes acerca do tema. 

“Essa comissão irá existir independente dos grandes eventos promovidos pelo ANDES-SN, ela será permanente e composta por membros da diretoria e quando tivermos algum Congresso e Conad, essa comissão será ampliada por pessoas que estiverem na coordenação local destes eventos para receber as denúncias e fazer a apuração durante os eventos. Além disso, a Comissão levará esse debate dentro das seções sindicais, onde esse professor é filiado, para construirmos ações de combate e de formação com os docentes envolvidos e, assim, evitar novos casos”, disse. 

A Comissão de Ética construirá uma Campanha contra o assédio - que terá a participação de membros da coordenação do GTPCEGDS e do Grupo de Trabalho de Comunicação e Arte (GTCA) -, com a confecção de cartazes, que serão divulgados nas seções sindicais do ANDES-SN, e artes digitais para a circulação nas redes sociais.

“A diretoria do ANDES-SN teve uma postura coerente e, com isso, só tem a ganhar politicamente. Há uma cultura de assédio em todo país e, também, da impunidade. Agora, com as denúncias feitas e com as ações políticas tomadas prontamente pelo Sindicato, ficou claro que iremos dar um basta. Machistas não passarão”, ressalta a diretora do ANDES-SN.

Entenda o caso

No dia 28, docentes e trabalhadoras do 36º Congresso do ANDES-SN realizaram uma manifestação para denunciar casos de machismo e assédio ocorridos no evento e também na sociedade.

As mulheres ocuparam o palco do Congresso, com cartazes e faixas, e leram uma declaração política http://portal.andes.org.br/imprensa/noticias/imp-ult-1963991378.pdf, na qual repudiam o machismo na sociedade e nos espaços do Sindicato Nacional, seções sindicais e universidades, e indicaram a constituição de uma comissão de mulheres para apurar as denúncias de assédio e machismo nos eventos do ANDES-SN.

Para os próximos eventos, a Comissão de Ética também disponibilizará, aos congressistas, material didático explicando o que é o assédio e como combatê-lo. Tanto a nota da diretoria do ANDES-SN quanto a carta produzida pelas mulheres que participaram do 36° Congresso, farão parte do material distribuído no 62° Conad em Niterói (RJ), como em diversas atividades do ANDES-SN em 2017.

Fonte: ANDES-SN

Foto: Bruna Homrich

Edição: Fritz R. Nunes (Sedufsm)

 



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2018 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet