Notícias

03/03/2017   07/03/2017 15h40 | A+ A- | 551 visualizações

Debate aborda impacto da reforma da previdência para as mulheres

Evento promovido pela Frente em Defesa do Serviço Público acontece dia 7, na Sedufsm


Frente Combativa em Defesa do Serviço Público volta a se reunir terça, dia 7, na Sedufsm

A Reforma da Previdência e seus impactos para as mulheres trabalhadoras”. Esse é o título do debate organizado pela Frente Combativa em Defesa do Serviço Público, que acontecerá na terça, dia 7 de março, na Sedufsm. O evento está previsto para iniciar às 19h, no Auditório Suze Scalcon. Os debatedores convidados são:

- Vera Rosane Oliveira, servidora técnico-administrativa da UFRGS, militante do Movimento Quilombo, Raça e Classe, integrante da CSP-Conlutas ;

- Aline Costa, jornalista e militante do Movimento Mulheres em Luta, e da CSP-Conlutas;

- David Lobão, representante do Sinasefe (Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica) na CSP-Conlutas. Lobão é docente da rede EBTT no Instituto Federal da Paraíba (IFPB) e membro do Comitê da Paraíba Contra a Reforma da Previdência. Ele tem falado sobre o tema em todo o país e vem a Santa Maria com apoio do IFF-Farroupilha de São Vicente do Sul.

A coordenação da mesa ficará por conta da professora Tatiana Joseph, diretora da Sedufsm.

A Reforma da Previdência do governo de Michel Temer, qualificada pelo movimento sindical de contrarreforma da previdência, está sintetizada na Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287/16, e representa a principal pauta de mobilização e resistência no ano de 2017. Dentre as especificidades da proposta, com grande impacto às mulheres trabalhadoras, é o fim do regime diferenciado. Mas, durante as exposições das convidadas e do convidado, a questão do impacto das alterações previdenciárias para as mulheres negras e para as mulheres do meio rural também será analisada.

Pela legislação em vigor, a idade mínima para requerer a aposentadoria é de 60 anos para os homens, e 55 para as mulheres. As novas regras, se aprovadas, estabelecerão a idade mínima de 65 anos a ambos os gêneros. Caso aprovada essa mudança, seria derrubado uma conquista histórica das mulheres, que é o regime diferenciado. Essa diferenciação busca justamente beneficiar as mulheres, tendo em vista que, em uma sociedade ainda patriarcal, são elas que comumente assumem duplas ou triplas jornadas de trabalho, já que, ao trabalho remunerado, costuma-se somar o trabalho doméstico.

Confirme aqui sua participação no evento.

Evento da Atens

No dia 8 de março também ocorre um debate promovido pela Atens (Sindicato Nacional dos Técnicos de Nível Superior da UFSM), cujo foco são os impactos da contrarreforma da Previdência às trabalhadoras. Quem falará na atividade é Giovani Bortolini, assessor jurídico da entidade, que tratará ainda sobre os pontos gerais mais polêmicos da proposta.

Para a ocasião ainda estão previstas intervenções, em formato de dinâmicas, com Márcia Paixão, docente do departamento de Fundamentos da Educação na UFSM, e Gléce Cóser, técnico-administrativa em Assuntos Educacionais também na UFSM. O evento do dia 8 ocorre às 14h, na sala 218 (segundo andar do prédio da Reitoria).

Reunião da Frente

Ainda no dia 7 de março, a Frente Combativa em Defesa do Serviço Público fará uma reunião, às 17h, na Sedufsm, para preparar o Dia Nacional de Lutas, em 15 de março, em Santa Maria. Nessa data, trabalhadores e trabalhadoras deverão ir às ruas, no país inteiro, demonstrar insatisfação e resistência aos projetos que retiram direitos – a exemplo das contrarreformas Trabalhista e Previdenciária.

Confira aqui mais notícias sobre o 8 de maio, com atividades programadas pela Fórum de Mulheres de Santa Maria.

Texto: Fritz R. Nunes com a colaboração de Bruna Homrich

Foto: Bruna Homrich

Assessoria de imprensa da Sedufsm

 

 



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet