Notícias

12/04/2017   12/04/2017 16h55 | A+ A- | 381 visualizações

CSP-Conlutas aprova ações para a Greve Geral em 28 de abril

Reunião da Coordenação da Central ocorreu no final de semana, em Brasília


Eblin Farage: proposta da CSP-Conlutas é parar o Brasil no dia 28 de abril

A reunião da Coordenação Nacional da CSP-Conlutas aprovou, por unanimidade, no domingo (9), a resolução de conjuntura e atividades, cujo eixo central é a preparação da Greve Geral de 28 de abril. A resolução foi apresentada pela presidente do ANDES-SN, Eblin Farage, que compõe a Secretaria Executiva Nacional da Central.

Em sua fala, Eblin defendeu a necessidade de um documento unitário da CSP-Conlutas para a preparação da Greve Geral, num momento em que se busca ampla unidade com os diversos movimentos e entidades para preparar o dia 28 de abril, convocada pelas centrais sindicais. “Mas nós vamos preparar a greve nas ruas”, reforçou Eblin que clamou pela importância da criação dos comitês de base em todo o país. Leia aqui a resolução.

“Neste mês de abril vamos intensificar as nossas mobilizações, da forma mais ampla, preparando as ações do dia 28 em nossas categorias e para além delas. Vamos buscar os setores mais pauperizados da nossa sociedade para organizar essa greve”, ressaltou a presidente do ANDES-SN.

Falando em nome da SEN, Eblin frisou também a intenção da Central de jogar todas suas forças na preparação da greve geral, para que o processo intensifique a lutas dos trabalhadores.

Além da realização de atos nas cidades, a proposta da CSP-Conlutas é começar o dia 28 com o Brasil parado. “Na porta das fábricas, no transporte em todos os locais de trabalho”, reafirmou, destacando as bandeiras que a Central levará para as ruas: “GREVE GERAL: 28 de Abril, vamos parar o Brasil!”; “Contra as reformas da Previdência e Trabalhista e a Terceirização”; “Por emprego e nenhum direito a menos”; “Fora Temer e todos os corruptos do Congresso!”. Confira o calendário de ações ao final da matéria.

Reunião da Coordenação

A reunião da Coordenação Nacional da CSP-Conlutas aconteceu de sexta a domingo (7 a 9), em São Paulo, com a presença de representantes das entidades sindicais, dos movimentos sociais e populares que compõem a central, incluindo a participação de representantes da diretoria nacional e seções sindicais do ANDES-SN.

Na sexta (7), foi realizado um painel sobre as reformas trabalhistas e previdenciária, com a participação do juiz federal e professor da pós-graduação em Direitos Humanos da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, Marcus Orione, do advogado trabalhista, Gabriel Franco da Rocha, e do representante do Quilombo Raça e Classe, Julio Condaque. Os palestrantes destacaram o quão predatórias as reformas do governo Temer são para a classe trabalhadora. 

O sábado (8) foi dedicado ao debate preparatório do 3º Congresso Nacional da CSP-Conlutas, que acontecerá entre 12 e 15 de outubro deste ano. Na reunião, foram apresentadas e aprovadas as propostas de local e taxas de inscrição, a partir de levantamento realizado pela Secretaria de Finanças da Central, e também o cronograma e pauta do Congresso. Na próxima reunião da Coordenação serão pautados a metodologia, o temário, o tema e o regimento do Congresso da Central.

Confira as tarefas e calendários

– Organizar Comitês Contra as Reformas e de organização da Greve Geral em todo o país.

– Realizar assembleia e votar a Greve Geral em todas as categorias e locais de trabalho.

– Estimular e organizar comitês unitários da Greve Geral nas cidades, estados, bairros, local de trabalho, estudo e moradia ou regiões.

– Participar em unidade de ação de fóruns, frentes ou comissões do movimento que tenham por objetivo organizar a Greve Geral.

– Dar ampla divulgação dos materiais unitários das centrais sindicais, bem como agilizar (via avaliação de nossa Secretaria Executiva) a confecção, impressão e divulgação de materiais próprios de nossa Central referentes à Greve Geral, com conteúdo da luta contra as reformas.

– Avançar ainda mais nas iniciativas de mídia de nossa central com eixo Greve Geral e destacando a organização e ação dos Comitês.

– Durante o mês de abril, realizar atividades de agitação nos estados e municípios, incluindo a pressão sobre os (as) parlamentares, seja nos aeroportos ou em suas casas e escritórios estaduais, para exigir que se posicionem publicamente contra a reforma da previdência e trabalhista.

– Organizar atividades no dia 19 de abril na câmara dos deputados, com representação das entidades, caso entre em pauta a votação da Reforma Trabalhista.

– Dia 28 de abril: Greve Geral!

– Fazer chamado, desde já, a todas as centrais por uma grande manifestação na votação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados.

– Construir atos unitários e classistas no 1º de Maio.

– Organizar coleta de votos ao Plebiscito pela Auditoria da Dívida, contra a Reforma da Previdência e Trabalhista e contra a terceirização.

– Seguir fortalecendo a luta de nossos povos originários (índios, quilombolas etc.) na defesa da demarcação ou da retomada de suas terras e, nesse contexto, apoiarmos o acampamento “Terra Livre” que ocorrerá de 24 a 28 de abril.

– Incorporar no dia 28 de abril a denúncia dos acidentes, lesões e mortes no trabalho: Dia Mundial contra o Acidente de Trabalho.

– Pela vida das mulheres. Nenhuma a menos, nenhum direito a menos! Greve Geral Já!

Fonte: ANDES-SN

Edição e foto: Fritz R. Nunes (Sedufsm)



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet