Notícias

30/05/2017   30/05/2017 17h49 | A+ A- | 356 visualizações

Centrais sindicais organizam nova greve geral

Mobilização contra reformas e pela saída de Temer ocorre no final de junho


Reunião das centrais sindicais nesta segunda, dia 29 de maio

As Centrais Sindicais reunidas na tarde desta segunda-feira (29) deliberaram pela continuidade das lutas para barrar as contrarreformas do governo de Michel Temer. Uma nova Greve Geral a ser realizada no período de 26 a 30 de junho é a principal resolução. Contudo, a data exata só será definida nos próximos dias – possivelmente em reunião no dia 5 de junho-, levando em consideração a tramitação das reformas no Congresso Nacional.

Até lá, as mobilizações serão mantidas nos estados. Aeroportos, locais de trabalho, praças públicas, escolas, universidades deverão ser palco de panfletagens, atos e outras ações contra as reformas da Previdência e Trabalhista e pela revogação da Lei de Terceirização. As Centrais também mantêm a bandeira unitária pela Fora Temer. Uma comissão de representantes das entidades sindicais estará no Senado para pressionar os parlamentares para que arquivem os projetos. Um novo jornal de quatro páginas será lançado para organizar a luta. Uma nova reunião das Centrais Sindicais deve ocorrer no dia 5 de junho.

A CSP-Conlutas, central sindical à qual o ANDES-SN é vinculado, defendeu a convocação imediata de uma greve geral de 48 horas, principalmente pelo fato de ter havido acordo que há um acúmulo das mobilizações realizadas e de que foi positiva a manifestação em Brasília, no dia 24 de maio.  “Infelizmente, não houve acordo diante das 48 horas, de qualquer maneira a CSP-Conlutas se empenhará para organizar, desde a base, as escolas, os locais de trabalho e os comitês, uma nova Greve Geral”, frisou Luiz Carlos Prates, o Mancha, da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas, que representou a Central na reunião. Também participaram da reunião os dirigentes da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas, Gibran Jordão e Magno Oliveira.

As Centrais presentes repudiaram a repressão policial ocorrida na capital federal e consideram que a atividade foi vitoriosa no processo de organização de uma mobilização nacional unitária dos trabalhadores brasileiros. Com iniciativas desde o ano passado, expressivas lutas realizadas em 2017 contribuíram para a construção da unidade dos trabalhadores e trabalhadoras no país. O Dia Internacional da Mulher, em 8 de março, foi fundamental para o sucesso do 15 de março, dia Nacional de Paralisações e Lutas. O 28 de abril coroou esse acúmulo, com a realização de uma Greve Geral que parou em torno de 40 milhões de trabalhadores no país. Assim como a marcha Ocupe Brasília, que levou mais de 150 mil trabalhadores, movimentos sociais e juventude à Brasília.

Rodada de assembleias docentes

Na última quinta-feira (25), representantes de diversas seções sindicais dos setores das Instituições Estaduais e Municipais de Ensino Superior (Iees/Imes) e Federais (Ifes) do ANDES-SN se reuniram na sede do Sindicato Nacional, em Brasília (DF), para avaliar o Ocupe Brasília, grande ato realizado no dia anterior, e apontar novos encaminhamentos unificados para a categoria docente.

Na reunião conjunta dos setores, realizada no período da manhã, os docentes indicaram a realização de uma rodada de assembleias de 29 de maio a 7 de junho para deliberar sobre a reafirmação da consigna de “Fora Temer!”, redobrar as lutas para barrar as contrarreformas da Previdência e Trabalhista, revogar a Lei das Terceirizações, e construir uma Greve Geral de 48h com a maior brevidade possível.

Fonte e foto: CSP-Conlutas

Edição: Fritz R. Nunes (Sedufsm)



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet