Notícias

29/06/2017   29/06/2017 17h54 | A+ A- | 291 visualizações

Greve Geral contra Temer e suas reformas ocorre nesta sexta

Santa Maria terá mobilização na UFSM e marcha no centro da cidade


Arte do ANDES-SN para divulgação da Greve Geral

Trabalhadores de todo o país preparam-se para paralisar as atividades nesta sexta, 30 de junho, data da segunda Greve Geral brasileira em 2017. Em Santa Maria ocorrem atividades desde a manhã até o final da tarde, com batucada de escolas de samba na praça Saldanha Marinho e mobilização nas ruas que a circundam. Como encerramento do dia de greve, ocorrerá uma marcha, com concentração prevista para as 16h, também na praça. Quem desejar acompanhar mais informações, pode confirmar presença no evento de Facebook. 

A greve desta sexta traz uma série de reivindicações, que vão desde a retirada dos projetos de reforma Trabalhista e Previdenciária da pauta do Congresso Nacional, até a revogação da Lei da Terceirização. Inclusive, essa última é alvo de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), encabeçada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que questiona não apenas irregularidades na tramitação, mas também o mérito de tal lei. O ‘Fora Temer’ e a defesa de ‘Nenhum direito a menos’ também figuram nas bandeiras de luta da Greve Geral.

Uma das marcas da mobilização desta sexta é a unidade firmada entre as centrais sindicais, que também reverberou em Santa Maria, onde, há semanas, vêm ocorrendo reuniões e plenárias entre dirigentes e trabalhadores da base de diversos sindicatos, além de representações de movimentos sociais.

Categorias em greve

Na UFSM, docentes e técnico-administrativos em educação deliberaram, em suas respectivas assembleias, adesão à Greve Geral. Na manhã desta sexta deve ocorrer, em parceria com os estudantes, mobilização no arco de entrada da universidade. Bancários, municipários e professores municipais também aprovaram adesão à greve em suas categorias. O Cpers-Sindicato, embora não tenha realizado assembleia, está chamando os trabalhadores da educação em nível estadual para aderirem à paralisação.

Mobilização nacional

Segundo informações coletadas no site da CSP-Conlutas, cidades como São Paulo, São José dos Campos e Rio de Janeiro já têm mobilizações previstas para esta sexta, 30. Acompanhe, abaixo, um cenário geral das movimentações pelo país:

Porto Alegre (RS): Paralisam metroviários, professores estaduais, Judiciário Federal, bancários, servidores estaduais e rodoviários;

São Paulo (SP): Metroviários, bancários e servidores do Judiciário Federal de São Paulo aprovaram adesão à Greve Geral;

São José dos Campos (SP): O Conselho de Representantes do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos (SP), que reúne cipeiros, delegados sindicais, ativistas e trabalhadores da categoria, confirmou a disposição em parar as fábricas para exigir a saída do presidente Michel Temer (PMDB), dos corruptos do Congresso Nacional e derrubar as reformas Trabalhista e da Previdência. O Fórum de Lutas do Vale do Paraíba, que reúne sindicatos de várias categorias, como condutores, químicos, alimentação, Correios, bancários, comércio, entre outros, reuniu-se na quarta-feira, 28, para fechar os detalhes da organização da Greve Geral na região. Os eletricitários de São Paulo também decidiram aderir à greve geral;

Litoral Paulista (SP): Estivadores de Santos aprovaram greve de 48 horas. A paralisação tem início às 7 horas de sexta-feira e segue até às 7 horas de domingo. Os petroleiros do Litoral Paulista também aprovaram participação na Greve desta sexta;

Rio de Janeiro (RJ): Já aprovaram greve as seguintes categorias: alguns setores dos petroleiros da Reduc Caxias; terceirizados da Petrobras do Fundão; trabalhadores das barcas Niterói; Fenasp (Federação Nacional dos Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social); Sepe (Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do RJ); técnicos e docentes das universidades UERJ, UFRJ, UFF, Rural e Unirio; Sindscope (Sindicato dos Servidores do Colégio Dom Pedro II); Sintesi (Sindicato dos Trabalhadores em Entidades Sindicais); Sintesnit (Sindicato dos Trabalhadores em Entidades Sindicais de Niterói e São Gonçalo); Asfoc (Sindicato dos Servidores de Ciência, Tecnologia, Produção e Inovação em Saúde Pública), IBAMA, Arquivo Nacional, Trabalhadores do IBGE; Técnicos e docentes do Cefet-RJ (Centro Federal de Educação Tecnológica); bancários Rio e Niterói; aeroviários. Nesta quinta, 29, também ocorrem assembleias de deliberação da greve dos Correios, da Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos), e dos metroviários. Os trabalhadores da CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) devem atrasar a entrada na troca de turnos;

Belo Horizonte (MG): Metroviários, eletricitários, ecetistas, bancários da área central, trabalhadores do INSS, da Educação Estadual, da Educação Municipal e da Saúde pública estadual irão paralisar o trabalho nesta sexta;

Belém (PA): Param bancários, rodoviários, urbanitários, professores e técnico- administrativos da UFPA, UEPA, UNIFESPA, UFOPA, construção civil, servidores públicos estaduais, base da Transpetro de Miramar, telefônicos (parcialmente) e servidores da Justiça Federal.

Aqui é possível conferir as categorias que aprovaram paralisações em outras localidades do país – como Distrito Federal, Espírito Santo e Bahia – e a agenda nacional de manifestações marcadas para a Greve Geral desta sexta, 30.

Texto: Bruna Homrich com informações da CSP-Conlutas

Imagem: ANDES-SN

Assessoria de Imprensa da Sedufsm

 



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet