Notícias

13/09/2017   13/09/2017 17h12 | A+ A- | 181 visualizações

Roda de conversa na UFSM e ato público neste dia 14 de setembro

Santa Maria integra-se ao calendário do Dia de Lutas contra reformas de Temer


Esta quinta-feira, 14, Dia de Lutas em todo o país contra cortes na educação e contrarreformas do governo Temer está na agenda de mobilização de Santa Maria. O dia inicia com uma ‘roda de conversa’ sobre “As perspectivas de financiamento para as universidades mediante os ataques neoliberais: estratégias de enfrentamento.” A atividade será às 10h30, no Anexo B do prédio 17 (Geociências), tendo como expositor o professor Carlos Alberto Gonçalves (UFRGS e Regional RS do ANDES-SN). Já na parte da tarde, a partir das 16h, estudantes, trabalhadores e movimentos sociais concentram-se na praça Saldanha Marinho para posteriormente saírem em marcha pelas ruas da cidade.

Na noite desta terça, 12, a Frente Combativa em Defesa do Serviço Público organizou últimos detalhes das atividades de quinta e depois alguns integrantes se direcionaram ao auditório do Diretório Central dos Estudantes (DCE) UFSM para planejar conjuntamente às entidades estudantis o ato que finalizará o dia de protesto.

AGENDA 14/09

Manhã

O quê? Roda de conversa com o tema “Perspectivas de financiamento da universidade diante dos ataques do projeto neoliberal: estratégias de enfrentamento”.

Horário? 10h30.

Local? Anexo B do prédio 17, ao lado do Auditório Sérgio Pires, campus da UFSM em Camobi

Convidados?. Carlos Alberto Gonçalves, dirigente da Secretaria Regional RS do ANDES-SN.

Tarde

O quê? Marcha contra as reformas de Temer e os cortes orçamentários nos serviços públicos.

Horário? 16h.

Local? Praça Saldanha Marinho.

Frente suprapartidária em defesa da universidade

Dado o cenário de grandes contingenciamentos orçamentários, os reitores das universidades públicas passaram a cobrar mais fortemente um repasse de verbas do governo federal. A essa pressão, a equipe do presidente Michel Temer responde que a responsabilidade pelo caos enfrentado nas instituições é dos reitores, que estariam exercendo má gestão dos escassos recursos.

Assim, os reitores vêm se organizando, no estado do Rio Grande do Sul e em outras localidades, em Frentes Suprapartidárias em Defesa da Universidade Pública. Para melhor explicar os objetivos dessa aglutinação, o reitor Paulo Burmann convidou as entidades para uma reunião nesta sexta-feira, às 11h, no subsolo do prédio da reitoria da UFSM. Nesse encontro, será feito, ainda, o convite para atividade na próxima segunda-feira, 18, na Assembleia Legislativa em Porto Alegre, data em que a Frente Suprapartidária deve se reunir. A UFSM está disponibilizando um ônibus gratuito aos interessados.

As entidades presentes à reunião da Frente Combativa em Defesa do Serviço Público na noite da terça avaliaram que, não obstante a mobilização tardia dos reitores, a presença na reunião de sexta, no prédio da Reitoria, faz-se importante para um melhor entendimento da iniciativa proposta pelos dirigentes universitários.

Planejamentos futuros

A Frente Combativa, além de preparar a mobilização desta quinta-feira, ainda projetou atividades futuras, a serem melhor definidas nas próximas semanas. O calendário inclui uma roda de conversa sobre a contrarreforma da Previdência com os moradores da zona oeste da cidade, e participação em atividade cultural na Escola Edna May Cardoso, no bairro Cohab Fernando Ferrari.

Texto: Bruna Homrich

Edição: Fritz R. Nunes

Assessoria de imprensa da Sedufsm



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet