Notícias

09/11/2017   09/11/2017 18h16 | A+ A- | 305 visualizações

Docentes paralisam nesta sexta e debatem greve em assembleia

Paralisação integra a mobilização relativa ao Dia Nacional de Lutas


Assembleia no dia 1º de novembro, quando foi aprovada a paralisação de 24h

Os docentes da UFSM têm paralisação marcada para esta sexta, 10 de novembro, Dia Nacional de Lutas e Paralisações, contra a reforma trabalhista, contra a reforma da previdência, lei das terceirizações e também contra a MP 805 (suspende remunerações em 2018 e aumenta a alíquota de contribuição previdenciária). A paralisação de 24h foi aprovada em assembleia realizada no dia 1º de novembro.

Por definição desta mesma plenária, a Sedufsm convocou nova assembleia para esta sexta, 10, com a primeira chamada prevista para 13h30, no Auditório Suze Scalcon da Sedufsm (André Marques, 665). O principal ponto de pauta é a discussão e deliberação sobre indicativo de greve nas Instituições Federais de Ensino (IFES), por tempo indeterminado, iniciativa que, se aprovada, será encaminhada ao ANDES-Sindicato Nacional dos Docentes.

Consta ainda pauta da reunião desta sexta a apreciação de uma moção de repúdio contra a implementação, pela reitoria da UFSM, de cursos de pós-graduação lato sensu (especializações). A elaboração de uma minuta de resolução para regulamentar esses pagamentos foi confirmada recentemente pela pró-reitoria de pós-graduação e pesquisa.

Mobilização nos campi

Uma equipe da diretoria da Sedufsm realizou nesta quinta-feira, uma visita de mobilização nos campi de Frederico Westphalen (manhã) e Palmeira das Missões (tarde). Estiveram presentes os seguintes diretores: professor Gihad Mohamad e a professora Tatiana Joseph. Em Frederico, os diretores tiveram apoio de alguns docentes, entre esses, a conselheira do sindicato, professora Adriana Zecca.

ANDES-SN e a importância do Dia de Lutas

A presidente do ANDES-SN, Eblin Farage, destaca a importância da mobilização desta sexta-feira. “O dia é importante para elevarmos o patamar de luta e a mobilização, a exemplo do que foi o primeiro semestre deste ano. Temos que reagir, de forma organizada e em ampla unidade de ação, com todas as categorias e movimentos sociais, que estão contra a retirada de direitos”, conclamou.

Eblin lembra os diversos ataques que os servidores vêm sofrendo como o Programa de Demissão Voluntária (PDV) e a recém-editada Medida Provisória 805, que, entre outras mudanças, adia para 2019 os reajustes negociados com diversas categorias de servidores e posterga, inclusive, as modificações nas tabelas remuneratórias da carreira do professor federal, previstas para agosto de 2018. Estas tabelas são frutos da Lei 12.772/2012, modificadas pela Lei 13.325/2016.

A MP também eleva a contribuição previdenciária, de 11% para 14%, sobre a parcela do salário que exceder R$ 5.531,31 (teto que é pago pelo Regime Geral, a cargo do INSS). “Especialmente, nós, do funcionalismo público, temos o dever de ir para a rua e defender as políticas públicas, a nossa carreira e os direitos sociais”, reforçou. Confira aqui a análise jurídica sobre a MP 805.

Informações da assembleia

Dia: Sexta, 10 de novembro

Hora: 1ª chamada (13h30); 2ª chamada (14h)

Local: Auditório Suze Scalcon (Sedufsm), à rua André Marques, 665

Pauta

1. Informes;

2. Análise de conjuntura;

3. Moção de repúdio aos cursos de especialização pagos;

4. Indicativo de greve das Instituições Federais de Ensino (IFES) por tempo indeterminado.

Logo após a assembleia, os docentes participam, a partir das 16h30, de ato público na praça Saldanha Marinho.

Texto: Fritz R. Nunes

Fotos: Fritz Nunes e Paulo Marafiga

Assessoria de imprensa da Sedufsm

 



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet