Notícias

04/12/2017   04/12/2017 22h07 | A+ A- | 366 visualizações

Processo Estatuinte foi interrompido e será devolvido ao Consun

Delegados jogaram a toalha depois de mais uma plenária sem quórum para deliberação


Plenária esvaziada na tarde desta segunda, no Auditório do Colégio Politécnico

A mesa diretora do Congresso Estatuinte da UFSM, em conjunto com os poucos delegados e delegadas presentes à plenária realizada na tarde desta segunda, 4, no Auditório do Colégio Politécnico, decidiram jogar a toalha. Na reunião em que tinha como pauta alteração do regimento interno do Congresso e substituição de membros da mesa diretora, novamente o quórum não foi alcançado. Com o ano encerrando e a atual gestão do reitor Paulo Burmann também findando, se considerou mais sensato interromper o processo e devolvê-lo ao Conselho Universitário (Consun), órgão máximo da instituição e, que, em 2015, aprovou a metodologia dos trabalhos.

Conforme o presidente da mesa diretora do Congresso Estatuinte, professor João Batista Paiva, será feito um relatório minucioso sobre o processo, desde o seu início, ainda no primeiro semestre de 2014, até o momento atual. Serão anexados todos os documentos construídos ao longo desses três anos e meio.

Na análise do professor Paiva, uma das causas da dificuldade em obter quórum é o fato de ter sido eleito um número alto de delegados e delegadas (300 no total). O objetivo era garantir ao máximo a participação da comunidade interna e externa no processo, porém, o fato de não existirem suplentes acabou por gerar um impasse diante da ausência de muitos delegados. Mas não é a única causa. Paiva avalia que houve, também, uma espécie de “obstrução” política de alguns setores à Estatuinte. 

Ao analisar as causas do insucesso da Estatuinte, o presidente do Congresso distribuiu as responsabilidades de forma igualitária. Segundo Paiva, o trabalho foi “duro”, mas acabou não sendo efetivo. E não por culpa da Mesa Diretora. Para o docente, houve falha das entidades representativas e dos próprios delegados que se elegeram, mas se ausentaram sem justificativa. Também disse que esperava mais em termos de participação dos que representavam a gestão da UFSM. Ainda durante a plenária desta tarde, o delegados e diretor da Sedufsm, professor Gihad Mohamad, rebateu o argumento de que as entidades teriam responsabilidade pelos problemas da Estatuinte.

Para Gléce Coser, 1ª secretária de mesa diretora, não há muito o que fazer, pois diante da falta de quórum, não há autonomia para decidir sem ferir o regimento interno. Daí porque a única saída é devolver o processo ao Conselho Universitário. Já João Batista Paiva disse que, no momento em que o processo chegar ao Consun, a atual mesa diretora estará automaticamente dissolvida.

Texto e foto: Fritz R. Nunes

Assessoria de imprensa da Sedufsm

 



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!

Comentários



Mauro Bianco disse...

Dia 05/12/17 às 04:57

E U J Á S A B I A.



Compartilhe com sua rede social!














© 2017 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet