Notícias

27/01/2018   02/02/2018 00h45 | A+ A- | 569 visualizações

Disputa à direção do ANDES-SN tem duas chapas inscritas

Inscrições e apresentação de chapas ocorreram neste sábado, no 37º Congresso do ANDES-SN


Plenária do 37º Congresso aprovou regimento eleitoral

Na eleição para a escolha da direção do ANDES-SN, no mês de maio, duas chapas deverão concorrer. Na tarde deste sábado, 27, durante a plenária do Tema IV (Questões organizativas e financeiras), após a aprovação do regimento eleitoral, inscreveram-se duas chapas para a disputa. A inscrição oficial necessita apenas de três nomes- o triunvirato. Agora, os grupos inscritos têm 30 dias (até 27 de fevereiro) para completar 83 cargos que compõem a diretoria nacional. Após o encerramento do prazo para inscrições, foi interrompida a plenária e as chapas foram apresentadas ao conjunto de delegadas e delegados.

Saiba quem são os componentes do triunvirato das duas chapas:

Chapa 1 (situação)- ANDES Autônomo e de luta

Antonio Gonçalves (Apruma)

Presidente

Eblin Farage (Aduff)

Secretária-geral

Raquel Dias (Sinduece)

1ª Tesoureira.


 

Chapa 1, com prof. Antonio Gonçalves ao microfone
 

Chapa 2 (oposição)- Renova ANDES-SN

Celi Taffarel (UFBA)
Presidente; 

Lurdinha Nunes (ADUFPI)
Secretária-geral

Everaldo Andrade (Adusp)
1º Tesoureiro.

Obs: Não estava presente no momento da inscrição da chapa 2, a professora Celi Taffarel, que viajou a Porto Alegre para resolver problemas de saúde na família.

Chapa 2, com professor Everaldo Andrade ao microfone

Fala da chapa 1

No momento em que a chapa 1 foi apresentada ao plenário onde estavam os congressistas, coube ao candidato a presidente, professor Antonio Gonçalves, fazer um resumo em sete minutos e meio do que pretende o grupo político. O professor lembrou das lutas que foram empreendidas no período mais recentes, em 2016 e 2017, quando o ANDES-SN se envolveu na greve de 2016, contra o projeto que congelava investimentos públicos, na organizaçao da greve geral de 2017 e de outras mobilizações nesse mesmo ano. Para a chapa 1, essas lutas todas devem continuar sendo feitas de forma conjunta com a CSP-Conlutas, especialmente no que se refere a uma greve contra a reforma da previdência. O candidato citou o golpe ocorrido em 2016, que alçou ao cargo um governo ilegítimo, mas ao mesmo tempo, frisou que o ANDES-SN, em sua história, tem lutado contra todos os tipos de golpes, como os que ocorreram na reforma da previdência de FHC, em 1998, e na reforma da previdência de Lula, em 2003.

Fala da chapa 2

Falando pela chapa 2, o professor Everaldo Andrade argumentou que o Brasil vive um “estado de exceção após o golpe de 2016”. Para o docente, a diretoria do ANDES-SN não estaria atuando de forma contundente para denunciar o golpe e barrar os ataques que se deram na sequência. Segundo Andrade, a condenação do ex-presidente Lula, no dia 24, é um sinalizador de que o golpe terá novas etapas, com uma justiça politizada e que tem permitido a retirada de importantes direitos da classe trabalhadora. A chapa 2 destacou em um panfleto distribuído aos congressistas, que o ANDES-SN precisa de uma nova reorientação, através da qual o sindicato faça o seu “reatamento” com organizações “representativas e majoritárias do movimento sindical, popular e da juventude”, que lutam contra as contrarreformas do governo Temer.

Veja logo abaixo, em anexo, fotos da inscrição das duas chapas.

Texto e fotos: Fritz R. Nunes

Assessoria de imprensa da Sedufsm

 



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2018 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet