Notícias

22/02/2018 | A+ A- | 564 visualizações

ANDES-SN divulga nota de repúdio contra a ataques à liberdade acadêmica

A nota foi motivada pela ameaça do MEC de entrar com uma ação contra a UNB por cadeira sobre o “Golpe de 2016”


O ANDES-SN divulgou nesta quinta-feira, 22, uma nota de repúdio contra “os variados ataques às instituições públicas de ensino superior e seus professores e professoras”, entre eles os cortes de verbas e as “denúncias que buscam a desmoralização das Instituições públicas de ensino e as ações que visam desqualificação e perseguir acadêmica e politicamente o corpo docente”. A nota é motivada pela ameaça por parte do Ministério da Educação de entrar com ação contra a Universidade de Brasília (UnB) e seu professor Luis Felipe Miguel, do departamento de Ciências Políticas, após a oferta de uma cadeira denominada “Tópicos especiais em Ciência Política: O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil”, para o primeiro semestre de 2018.

O Ministério da Educação anunciou que vai acionar a Advocacia-Geral da União (AGU), o Tribunal de Contas da União (TCU), a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério Público Federal (MPF) para que seja apurada “improbidade administrativa” por parte dos responsáveis pela criação da disciplina. Em entrevista ao site poder360, o ministro da educação, Mendonça Filho, afirmou que “está claro que não houve base científica na criação desse curso. Contraria as boas práticas da educação. Alguém não pode ter uma ideia ou uma opinião e simplesmente oferecer dentro de uma universidade 1 curso”. 

A cadeira está oferecendo 50 vagas e tem a seguinte ementa: A disciplina tem três objetivos complementares: (1) Entender os elementos de fragilidade do sistema político brasileiro que permitiram a ruptura democrática de maio e agosto de 2016, com a deposição da presidente Dilma Rousseff. (2) Analisar o governo presidido por Michel Temer e investigar o que sua agenda de retrocesso nos direitos e restrição às liberdades diz sobre a relação entre as desigualdades sociais e o sistema político no Brasil. (3) Perscrutar os desdobramentos da crise em curso e as possibilidades de reforço da resistência popular e de restabelecimento do Estado de direito e da democracia política no Brasil. A cadeira será ministrada pelo professor Luis Felipe Miguel, doutor em Ciências Sociais pela Unicamp, professor titular do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília e pesquisador do CNPq.

 

Confira a íntegra da nota do ANDES-SN:

Nota de repúdio da diretoria nacional do ANDES-SN aos ataques à liberdade acadêmica e à autonomia universitária

Os variados ataques às instituições públicas de ensino superior (Universidades, Institutos Federais e CEFETs) e aos seus professores e professoras têm se intensificado no último período, com o aprofundamento nos cortes de verbas – o que limita a autonomia e o desenvolvimento do tripé ensino-pesquisa-extensão -, a ampliação das denúncias que buscam a desmoralização das Instituições públicas de ensino e as ações que visam desqualificação e perseguir acadêmica e politicamente o corpo docente. Exemplos disso são a perseguição direta ao professor Luis Felipe Miguel, do departamento de Ciências Políticas da UnB, com a manifestação do Ministério da Educação (MEC) de que interviria para cancelar uma disciplina ofertada pelo docente; e o achincalhamento ideológico nas redes sociais à professora Erlenia Sobral do Vale, do curso de Serviço Social, da UECE.

Essas ações, aliadas a tantas outras, como o projeto da Escola sem Partido e a censura às expressões culturais, apontam para o recrudescimento do conservadorismo histórico das elites da nossa sociedade e para a tentativa de esvaziamento do sentido republicano, laico e civilizatório da educação pública, caracterizando-se como um ataque direto à autonomia das instituições de ensino superior, claramente estabelecida no texto da Constituição Federal, no artigo 207, e à liberdade acadêmica, política e ideológica dos professores e professoras.

Mais uma vez a direção deste sindicato reafirma seu compromisso com a defesa da Universidade Pública, gratuita, de qualidade, laica, democrática e socialmente referenciada, e se solidariza com os professores e as professoras. Posiciona-se, ainda, de forma veemente em defesa da autonomia universitária, da liberdade acadêmica e contra todas as formas de autoritarismo e cerceamento político e/ou ideológico do trabalho docente.

 

Brasília, 22 de fevereiro de 2018.

 

DIRETORIA NACIONAL DO ANDES-SN

 

Texto: Ivan Lautert da Silva

Assessoria de Imprensa da Sedufsm
 



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2018 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet