Notícias

22/03/2018   22/03/2018 16h38 | A+ A- | 232 visualizações

Mostra traz 15 dias de luta contra a discriminação racial

No Dia Internacional de Luta contra a Discriminação Racial, foi lançada uma exposição fotográfica com as temáticas da negritude


Dar visibilidade para a luta, a cultura e a ciência do povo negro de Santa Maria. Este é o objetivo da exposição fotográfica do Professor aposentado Dartanhan Baldez, que foi aberta à visitação no centro de eventos da UFSM na manhã de ontem, 21 de março, Dia Internacional de Luta contra a Discriminação Racial. A exposição faz parte da mostra "Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais" que promove 15 dias de luta contra a discriminação racial. O lançamento foi antecedido por um ato antirracista em frente à reitoria, relembrando as denúncias de racismo na UFSM e registrando a memória de Anderson Gomes e Marielle Franco, assassinados no Rio de Janeiro na semana passada. 

A negritude em fotografias

Segundo o Professor Dartanhan Baldez, as 85 fotografias em exposição foram selecionadas a partir de um universo de mais de mil entregues por ele à curadora da mostra, Isadora Bispo. “As fotos são fruto do acompanhamento dos movimentos sociais da cidade e o recorte do movimento negro emergiu do meu corpo de trabalho” explica Baldez, que é também um sócio-fundador do coletivo negro Ará Dudu, um dos organizadores do evento junto a Pondá Assessoria.

Além das 85 fotografias impressas, outras 650 são projetadas na mostra, que ficará aberta para visitação gratuita até o dia 30 de março, de segunda a sexta, das 11h às 16h e nos sábados e domingos das 16h às 18h, no centro de eventos da UFSM. A partir do dia primeiro de abril a exposição estará no Shopping Monet. A exposição fotográfica conta com o apoio da Sedufsm.

A mostra continua

Na mesma ocasião, o Coletivo Ará Dudu apresentou a sua plataforma digital, construída em parceria com a Incubadora Social da UFSM, e que será lançada em breve e que organizará a produção de artistas, artesãos e empreendedores negros de Santa Maria, com o intuito de promover e valorizar o trabalho das negras e negros no mercado local. Além disso, o bailarino Manoel Luthiery realizou a performance “Falar Fazendo Dança Afro” e foi exibido o curta-documental “Pobre, Preto, Puto” sobre o líder negro local, Ney D’Ogum, produzido pela produtora Pé de Coelho Filmes. Ainda sobre Ney, falecido em agosto de 2017, o Grupo de Estudos Pós-Abolição do departamento de história da UFSM, anunciou que será inaugurada na CEU II uma sala de estudos da negritude que levará o nome de Ney D’Ogum.

A cerimônia de lançamento da mostra foi encerrada com uma degustação de culinária africana no “Olubajé”, que é o ritual de compartilhar o alimento em folhas de mamona.

A programação do 15 dias de Luta Contra a Discriminação Racial seguirá com a seguinte agenda:

25/03

16h - Momento Música de Preto no Viva o Campus com:

Elen Janine Ortiz

Zan Ribeiro

Arianne TeLima. Arianne Teixeira De Lima

 

29/03

15h Roda de conversa. Mulheres Negras: Militância e Protagonismo das Pretas.

Mediação - Grupo de Estudos sobre o Pós-Abolição - GEPA - Grupo de Estudos sobre o pós-Abolição. Jéssica Silva (GEPA, Graduanda do curso de História UFSM) e Késsia Machado (GEPA, Graduanda do curso de Pedagogia UFSM).

Participação Especial - Malu Viana

 

TODOS OS DIAS: MOSTRA DE BONECAS NEGRAS DA ARTESÃ Lucia Severo - Baiana.

TODOS OS DIAS ATÉ O DIA 30/03 Exposição Fotográfica no Centro de Eventos da UFSM:

De segunda a sexta das 11h às16h

Sábados e domingos das 16h ás 18h

 

Texto e fotos: Ivan Lautert

Assessoria de Imprensa da Sedufsm



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2018 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet