Notícias

28/05/2018   28/05/2018 17h07 | A+ A- | 143 visualizações

Recursos “administráveis” da UFSM diminuíram, diz Proplan

Conselho Universitário aprova o Índice de Distribuição de Recursos de 2018


Pró-Reitor Frank Casado, à direita do reitor Paulo Burmann, na reunião do Conselho Universitário

Na sessão do Conselho Universitário (Consu) da última sexta, 25, foi aprovado o Índice de Distribuição de Recursos (IDR) de 2018 da UFSM, que representa a matriz orçamentária. Ouvido pela assessoria de imprensa da Sedufsm, o pró-reitor de Planejamento, Frank Casado, esclareceu que do ponto de vista global, o orçamento da instituição aumentou, em função de que a folha de pagamento teve ampliação. Contudo, diz ele, os recursos “administráveis” da universidade diminuíram. A causa dessa redução se relaciona com a implementação da lei do teto de gastos. Casado também explicou que o IDR só foi levado à votação agora, final de maio, porque antes precisou passar por outras instâncias, como por exemplo, o fórum de diretores.

Durante a discussão em relação ao IDR 2018, o reitor, professor Paulo Burmann, falou sobre a liberação de recursos contingenciados por parte do governo federal em relação ao ano passado, no que tange a investimento. Conforme o reitor, até agora foram liberados R$ 8 milhões de um total de R$ 19 milhões. Burmann disse que há uma promessa de liberação gradativa desses recursos, mas que há uma determinação do Poder Executivo para que a verba seja destinada prioritariamente àquelas obras que estejam 70% concluídas. O dirigente também ressaltou que não há autorização do governo (Ministério do Planejamento) para que o recurso seja usado em renovação da frota de veículos da instituição.

Gestão da energia

Durante o período das comunicações da reunião do Consu, o reitor ainda fez considerações sobre o trabalho do comitê gestor de energia da universidade. Na sequência passou a palavra ao professor Tiago Marchesan, diretor do Centro de Tecnologia (CT) e presidente da comissão, que é formada por técnicos e docentes. Em seu relato, Marchesan disse que o objetivo do trabalho não se resume a reduzir gastos, mas também melhorar as condições ambientais. Dentre as medidas pensadas pelo grupo, o professor elencou a instalação de medidores de carga elétrica, e a substituição das lâmpadas normais pelas de “Led” na Avenida Roraima.

Para o vice-reitor, professor Luciano Schuch, que também já foi diretor do CT, a instalação de redes inteligentes de energia, contribuindo para a eficiência energética, são importantes porque colocarão a UFSM no papel que ela precisa ocupar, que é de referência para a sociedade. “Temos que ser um vetor de transformação social”, disse Schuch.

Texto: Fritz R. Nunes

Foto: Multiweb UFSM

Assessoria de imprensa da Sedufsm

 



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2018 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet