Notícias

30/05/2018   05/06/2018 16h08 | A+ A- | 463 visualizações

Posse da nova diretoria da Sedufsm: confira a prestação de contas

Manifestações na solenidade ressaltaram unidade em defesa da democracia


Auditório Suze Scalcon da Sedufsm lotado durante a posse na noite de terça-feira

Foi mais do que uma cerimônia solene de posse da nova diretoria da Sedufsm (biênio 2018-2020) e dos 12 integrantes do Conselho de Representantes da entidade, na noite desta terça, 29. Foi um ato em que a quase totalidade dos discursos destacaram os momentos difíceis vivenciados pelo país e a importância da defesa da democracia em meio a manifestações que pedem a volta de um regime autoritário.

Em sua fala de recondução à presidência do sindicato, o professor Júlio Quevedo frisou que é preciso estar alerta nesses “tempos sombrios” em relação à atuação do que ele qualificou como “elite do atraso”, que busca travar a luta de trabalhadores e trabalhadoras, e ao mesmo tempo, faz avançar em ações de criminalização de movimentos sociais e no assassinato de indígenas, negros, quilombolas. Quevedo ressaltou a importância do processo eleitoral tanto no ANDES-SN como na Sedufsm, marcado pela disputa entre duas chapas, o que, segundo ele, expressa com clareza o vigor da democracia no meio sindical.

Na análise do presidente reeleito da Sedufsm, o debate eleitoral proporcionou um grande aprendizado e que o trabalho da nova gestão será uma continuidade, mas com mudanças que representem avanços. A essência desse trabalho, conforme Quevedo, segue na linha do que sempre foi a atuação do ANDES, que é a defesa da educação pública, gratuita, de qualidade, e socialmente referenciada. Quevedo também fez questão de demarcar a concepção de sindicato ao qual se filia: classista, autônomo e sem nenhum tipo de conciliação de classes.

Contribuições do Conselho

A palavra também esteve à disposição dos membros do Conselho de Representantes da Sedufsm. E três deles fizeram questão de se manifestar. A professora Helenise Sangoi Antunes, do Centro de Educação, lembrou que a conjuntura do país é crítica não apenas porque existe a greve dos caminhoneiros. Para ela, a universidade “está presa por um fio” diante das medidas governamentais que cortam recursos e avançam contra os direitos dos servidores públicos. Helenise disse ainda ter ficado feliz em poder contribuir com o Conselho de Representantes e que a luta deve ser conjunta, pois o “inimigo” está fora da universidade.

Diorge Konrad, professor do departamento de História, e mais votado para o Conselho de Representantes, referiu-se à “gravíssima” conjuntura do país. Disse lamentar ter acertado, quando anos atrás, previu que se ampliaria o espaço do fascismo no mundo. O que temos atualmente, segundo Diorge, é uma elite fascista que objetiva destruir os direitos dos trabalhadores. E no meio a isso tudo, a categoria dos professores encontra-se ameaçada, tendo em vista que os ataques pretendem restringir a construção da ciência e do conhecimento, analisou o historiador.

Tatiana Joseph, integrante da diretoria da Sedufsm que deixa a função, mas ao mesmo tempo assume como conselheira, alertou para o processo de privatização do Estado, que cada vez mais adentra os muros da universidade. Para ela, é importante ter em mente que “todos temos direito a acessar o conhecimento”.

Balanço da gestão

A tarefa de fazer um balanço da gestão que encerrava ficou com a professora Fabiane Costas, que desempenhou a função de secretária-geral nos últimos dois anos. Ela apresentou o resumo de um relatório de 72 páginas que espelham o trabalho de uma diretoria que assumiu em junho de 2016, e nesse período inicial, passou por uma greve contra o congelamento de gastos no setor público e ajudou a construir uma frente (Frente Combativa) de sindicatos e movimentos em defesa não apenas do serviço público, mas de pautas de interesse da sociedade. (Confira abaixo, em anexo, o documento da prestação de contas)

Fabiane citou as lutas contra projetos importantes, como o das terceirizações, o da reforma trabalhista e o da reforma da previdência, que também embasaram a construção de importantes ações de mobilização com o conjunto da sociedade, que redundaram em greve geral, como a de 28 de abril de 2017. “Vigilantes diante dos ataques e na luta permanente pela manutenção da autonomia do sindicato”, enfatizou ela.

Mas se a luta foi árdua diante de uma conjuntura sempre adversa, isso não impediu que a diretoria do sindicato formulasse políticas cujo objetivo era maior aproximação com a categoria. E um desses exemplos, citado por Fabiane, foi a campanha “compartilhar conquistas”, através da qual a Sedufsm lançou o cartão do filiado (a), em agosto do ano passado. Além de proporcionar benefícios, via parcerias, a campanha também cumpriu o papel de aproximação com a base. Foram visitadas todas as Unidades de Ensino da UFSM, incluindo os campi de Frederico, Palmeira e Cachoeira do Sul.

Insegurança e necessidade de união

Presente ao ato solene, o reitor da UFSM, Paulo Burmann, também fez referência ao contexto histórico e político de grande complexidade. Em sua fala curta, enfatizou que a “insegurança tomada conta das instituições” e que a universidade é uma das poucas instituições em que a sociedade ainda deposita muita confiança. Nesse sentido, fez uma conclamação de que é possível unidade em torno de pautas comuns, ainda que as metodologias pensadas sejam diferenciadas. No entendimento do reitor, a defesa da universidade pública, inclusiva, socialmente referenciada deve ser a pauta que una todos os segmentos.

Centrada na conjuntura de “retrocessos” também foi a fala do representante da Regional RS do ANDES-SN, professor Getulio Lemos. Para ele, diante de políticas governamentais que transformam a educação em uma “comódite”, a defesa dos docentes e da universidade tem que ser feita pelo sindicato. Nesse sentido, Getulio ressaltou que a hora é de união.

Confraternização

O evento da noite de terça-feira, no Auditório Suze Scalcon, foi prestigiado por cerca de 70 pessoas. Docentes sindicalizados (as), representações da Reitoria da UFSM, de direções de centros de ensino, de sindicatos do serviço público e da área da educação, além de integrantes de coletivos estudantis e da Associação de Familiares de Vítimas e de Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM), estiveram presentes.

Antes de finalizar a solenidade, o presidente da Sedufsm, professor Júlio Quevedo, entregou ao reitor Paulo Burmann, cópia de um documento destinado ao Ministério do Planejamento (MPOG). O requerimento, cujo texto foi elaborado no interior do Grupo de Trabalho de Seguridade Social e Assuntos de Aposentadoria (GTSSA) da Sedufsm, com a orientação da assessoria jurídica, reivindica a “correção da remuneração em face do regime de trabalho de 40 horas, 40 horas com Dedicação Exclusiva em razão da inconstitucionalidade parcial da Lei 13325/16”.

O evento foi transmitido “ao vivo” pelo facebook e você pode conferir a íntegra clicando aqui.

Confira nominata da nova diretoria da Sedufsm

Presidente: Júlio Ricardo Quevedo dos Santos (Departamento de História-CCSH)

Vice-presidente: João Carlos Gilli Martins (Aposentado- CCNE)

Secretária-geral: Maristela da Silva Souza (Departamento de Desportos Individuais-CEFD)

1ª Secretária: Leila Regina Wolff (Aposentada-CCS)

Tesoureiro-geral: Gihad Mohamad (Departamento de Estruturas e Construção Civil-CT)

1º Tesoureiro: Carlos Alberto Pires (Departamento de Geociências-CCNE)

1ª Suplente- Valeska Fortes de Oliveira (Departamento de Fundamentos da Educação-CE)

2ª Suplente- Adriana Graciela Desiré Zecca (Agronomia- UFSM em Frederico Westphalen)

3ª Suplente- Roselene Gomes Pommer (Colégio Técnico-CTISM).

Confira os membros do Conselho de Representantes

1-Diorge Konrad (CCSH); 2- Ricardo Rondinel (CCSH); 3- Helenise Sangoi Antunes (CE); 4- Hugo Gomes Blois Filho (CT); 5- Marian Noal Moro (aposentada do CCNE); 6- Márcia Paixão (CE); 7- Carmem Dickow Cardoso (CCNE); 8- Wilton Trapp (aposentado do CE); 9-Tatiana Joseph (CAL); 10- Bia Oliveira (CCSH); 11- Luciana Carvalho (Comunicação da UFSM/FW) e 1º suplente, Getúlio Lemos (aposentado do CE).

Confira abaixo, em anexo, a íntegra do relatório da prestação de contas da gestão 2016-2018.

Texto: Fritz R. Nunes

Fotos: Rafael Balbueno

Assessoria de imprensa da Sedufsm

 



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!

Documentos




Compartilhe com sua rede social!














© 2018 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041
Website por BM2 Tecnologia em Internet