MOBILIZAÇÃO CONTRA REFORMA ADMINISTRATIVA

Sindicato

ATENDIMENTO DA SEDUFSM

A Sedufsm informa que, desde o dia 23 de março de 2020, em função da pandemia, a sede do sindicato está fechada e os atendimentos sendo realizados de forma remota. Os (as) sindicalizados (as) podem entrar em contato com a entidade das 8h às 12h e das 14h às 18h através do e-mail sedufsm@terra.com.br ou pelos telefones (55) 99962-2248 e (55) 99935-8017.


Espaço Cultural

Reflexões Docentes

Contatos SEDUFSM

(55) 3222 5765

Segunda à Sexta
08h às 12h e 14h às 18h

Endereço

SEDUFSM
Rua André Marques, 665
Centro, Santa Maria - RS
97010-041

Email

Fale Conosco - escreva para:
sedufsm@terra.com.br

Twitter

SEDUFSM

Facebook

SEDUFSM

Youtube

SEDUFSM

Notícias

01/02/2021   01/02/21 15h43 | A+ A- | 254 visualizações

Gasto com salário de servidor federal caiu 3,7% em 2020

Despesa com o funcionalismo é a menor em 22 anos, revelam dados do Tesouro Nacional


Bráulio Cerqueira: há mais de 20 anos não há qualquer descontrole com despesas de pessoal da União

Dados levantados junto ao Tesouro Nacional e apresentados na última quinta, 28, mostram uma queda nos gastos com salários de servidores federais ativos em relação a 2019. Os números foram destacados por algumas entidades, como o Sindicato Nacional dos Auditores e Técnicos Federais de Finanças e Controle (Unacon Sindical), que integra o Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate).

Bráulio Cerqueira, presidente da Unacon Sindical, afirmou que "em 2020, números oficiais do Tesouro Nacional mostram que a despesa com pessoal civil ativo do governo federal, corrigida pela inflação, caiu 3,7% em relação a 2019, sendo ainda inferior ao nível alcançado em 2014".

Os dados mostram ainda que a despesa com o funcionalismo é menor que a registrada há 22 anos. "Em relação ao PIB, o gasto total com servidor é menor do que o observado em 1998. Ou seja, há mais de 20 anos, não há qualquer descontrole com as despesas de pessoal da União", complementou o sindicalista.

A análise dos números ocorrer em um momento em que o governo Bolsonaro insiste que, para controlar de gastos públicos, é preciso seguir atacando os salários no serviço público. 

A equipe econômica de Bolsonaro, comandada por Paulo Guedes, quer a aprovação da PEC Emergencial, que prevê gatilhos (como redução de salário e jornada de servidores) em períodos de crise, por exemplo, quando houver descumprimento da Regra de Ouro pela União. E quando a despesa corrente dos estados e municípios ultrapassar 95% da receita. A PEC 32 (Reforma Administrativa), que gerará um desmonte nos serviços públicos, também está na pauta do governo federal.

Fonte: O Dia
Imagem: You Tube
Edição: Fritz R. Nunes (Sedufsm)



 



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2021 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041