MOBILIZAÇÃO CONTRA REFORMA ADMINISTRATIVA

Sindicato

ATENDIMENTO DA SEDUFSM

A Sedufsm informa que, desde o dia 23 de março de 2020, em função da pandemia, a sede do sindicato está fechada e os atendimentos sendo realizados de forma remota. Os (as) sindicalizados (as) podem entrar em contato com a entidade das 8h às 12h e das 14h às 18h através do e-mail sedufsm@terra.com.br ou pelos telefones (55) 99962-2248 e (55) 99935-8017.


Espaço Cultural

Reflexões Docentes

Contatos SEDUFSM

(55) 3222 5765

Segunda à Sexta
08h às 12h e 14h às 18h

Endereço

SEDUFSM
Rua André Marques, 665
Centro, Santa Maria - RS
97010-041

Email

Fale Conosco - escreva para:
sedufsm@terra.com.br

Twitter

SEDUFSM

Facebook

SEDUFSM

Youtube

SEDUFSM

Notícias

10/02/2021   10/02/21 16h47 | A+ A- | 320 visualizações

Sindicato promove ações de engajamento contra Reforma Administrativa

Reportagens, cards, filtros de facebook e artigos na mídia local trazem pauta para o centro do debate


Se 2021 iniciou com a Reforma Administrativa integrando o grupo de pautas centrais a serem votadas pelo Congresso Nacional, também é certo que o movimento sindical não ficou para trás e, desde os primeiros dias do novo ano, vem articulando ações de mobilização para sensibilizar parlamentares e sociedade contra a proposta de enxugamento e privatização do Estado brasileiro.

Nas últimas semanas, a Sedufsm vem lançando uma série de reportagens destacando alguns dos aspectos mais nocivos da reforma – cuja primeira etapa está contida na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20 -, a exemplo do fim da estabilidade para 90% dos servidores públicos e da possível perseguição política e desamparo que pode decorrer do desmantelamento desse direito. Vínculos de trabalho precários, destruição do Regime Jurídico Único e possibilidade de demissões arbitrárias e sem direito à ampla defesa também figuram no pacote de maldades formulado por Paulo Guedes e enviado, em setembro de 2020, por Bolsonaro ao Congresso.

Além das matérias, a seção sindical também lançou um filtro de facebook com as frases “Diga NÃO à Reforma Administrativa! Defenda a UFSM!”. A ideia é fomentar o engajamento tanto de docentes quanto de outros setores da sociedade. Neste momento em que a pandemia ainda exige o distanciamento social, a mobilização virtual vem sendo um dos caminhos encontrados para fortalecer a resistência a esse e outros projetos de Bolsonaro.

Outra ação nas redes sociais é a publicação de uma série de cards com perguntas e respostas acerca da Reforma. O objetivo principal é desmentir algumas afirmações enganosas propagadas pelo governo, como a que diz que a Reforma foi proposta para combater privilégios. A verdade é exatamente o contrário disso: ao mexer nos direitos de servidores estaduais, municipais e federais que atuam diretamente nos serviços de assistência à população, e ao manter intocáveis os altos salários de juízes, procuradores, militares, diplomatas e parlamentares, a reforma atua para criar uma casta privilegiada de servidores, precarizando a vida daqueles que ganham menos. Veja a série de cards em nossa página de Facebook, Instagram e Twitter.

Para a diretoria da Sedufsm, engrossar a luta contra a reforma, ao lado de outros setores do funcionalismo e dos/as trabalhadores, é uma tarefa urgente. “O ano de 2021 inicia com uma grande pressão do governo Bolsonaro e de Paulo Guedes, assim como dos banqueiros, pela aprovação das medidas que destroem os serviços públicos e ameaçam os/as servidores/as. A reforma administrativa é retomada na Câmara dos Deputados, assim como a PEC 186. As iniciativas de mobilização precisam ser retomadas e fortalecidas, dialogando com toda a população, por isso iniciamos esta campanha, com uma série de ações de comunicação. Se aprovadas estas medidas, perdem os/as servidores/as e perde toda a população que necessita diariamente dos serviços públicos”, destaca Márcia Morschbacher, diretora do sindicato.

Em breve também será lançada uma série de cards e matérias que abordam os impactos da Reforma para a UFSM – seja no âmbito da assistência à saúde via HUSM, da formação acadêmica e profissional ou da geração de emprego e renda.

Cabe lembrar - como ressalvado por Márcia - que a PEC da Reforma caminha lado a lado com outras propostas nocivas ao serviço público, a exemplo da PEC 186, que reduz salário dos servidores e vem sendo usada como barganha por Guedes, que condiciona o pagamento de novas parcelas de um auxílio emergencial ao corte salarial do funcionalismo.

Artigo

Na última semana, a presidenta da Sedufsm, Laura Fonseca, publicou artigo no jornal Diário de Santa Maria com análise sobre alguns dos projetos que o governo vem tentando aprovar na esteira da pandemia e que prejudicam frontalmente os trabalhadores. O texto está disponível, na íntegra, na seção “Reflexões Docentes” de nosso site. Acesse aqui.

Em defesa da vacina

Como a Sedufsm atua em várias frentes de luta, a mobilização por um projeto massivo e democrático de vacinação popular está entre as prioridades do período, devendo, em breve, estampar ações de engajamento nas redes sociais.

Santa Maria, que já tem o Grupo Técnico de Vacinação para a Covid-19, ainda enfrenta dúvidas tais como: o governo federal, comandado pelo presidente que minimizou a pandemia, repassará vacinas para o RS? Quando isso ocorrerá? Qual o tipo de vacina? São algumas respostas importantes para o desenrolar de todo o processo. Leia mais aqui.

 

Texto: Bruna Homrich

Arte: Bruno Silva

Assessoria de Imprensa da Sedufsm

 

 

 



Fotos



* Clique na foto para Ampliar!


Compartilhe com sua rede social!














© 2021 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041