MOBILIZAÇÃO CONTRA REFORMA ADMINISTRATIVA

Cartilha sobre a PEC 32

Últimas Notícias

Espaço Cultural

Reflexões Docentes

Contatos SEDUFSM

(55) 3222 5765

Segunda à Sexta
08h às 12h e 14h às 18h

Endereço

SEDUFSM
Rua André Marques, 665
Centro, Santa Maria - RS
97010-041

Email

Fale Conosco - escreva para:
[email protected]

Notícias

28/04/2021   28/04/2021 17h27m   | A+ A- |   366 visualizações

Reitor da UFSM constata orçamento 21% menor em relação a 2020

Burmann afirma que universidade vive pior cenário financeiro de todos os tempos

Reitor Burmann e a falta de recursos: universidades vivem situação nunca antes vista
Reitor Burmann e a falta de recursos: universidades vivem situação nunca antes vista

As universidades federais vivenciam um momento dramático nestes primeiros meses de 2021. Depois de muitos ruídos entre governo federal e Congresso Nacional, a lei orçamentária foi sancionada pelo presidente da República com a retirada de R$ 1,1 bilhão das instituições federais. No caso da UFSM, a redução do orçamento em relação a 2020 corresponde a 21%, explicou o reitor Paulo Burmann, durante a sessão do Conselho Universitário (Consu) ocorrida na manhã desta quarta, 28, em modo on-line. Segundo o dirigente, a UFSM vive “um dos piores cenários financeiros de todos os tempos”.

A situação é mais agravada ainda pelo fato de que, mesmo com um orçamento reduzido em mais de 20%, o recurso tem um percentual de 60% bloqueado. As universidades, contou o reitor, têm recebido 40% de um orçamento que já é bastante inferior ao do ano passado, que também havia sido cortado. Dessa forma, segundo disse Burmann, em quatro meses deste ano, a UFSM já consumiu 40% do total orçamentário. Isso, ao se falar em verba para custeio, pois quando se fala em investimento, esse capital foi reduzido a nada, frisou o reitor.

Em sua explanação, o dirigente afirmou que o que está acontecendo com orçamento é um “fato gravíssimo”. Ao invés de discutir o recurso das universidades com o MEC e o Ministério da Economia, os (as) reitores (as) terão que se deslocar até o Congresso Nacional, tentando obter verba através de emendas parlamentares. Para o reitor, essa é uma situação “nunca antes vista” que demonstra o quanto a educação, na prática, não é prioridade.

Na última terça, 27, o site da Sedufsm já havia trazido informações sobre os cortes orçamentários na educação e seus reflexos nas universidades. Confira aqui a matéria.

 

Texto: Fritz R. Nunes
Imagem: Print
Assessoria de imprensa da Sedufsm

Fotos da Notícia

Reitor Burmann e a falta de recursos: universidades vivem situação nunca antes vista

Compartilhe com sua rede social


© 2022 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041