MOBILIZAÇÃO CONTRA REFORMA ADMINISTRATIVA

Cartilha sobre a PEC 32

Últimas Notícias

Espaço Cultural

Reflexões Docentes

Contatos SEDUFSM

(55) 3222 5765

Segunda à Sexta
08h às 12h e 14h às 18h

Endereço

SEDUFSM
Rua André Marques, 665
Centro, Santa Maria - RS
97010-041

Email

Fale Conosco - escreva para:
[email protected]

Notícias

25/04/2022   25/04/2022 16h24m   | A+ A- |   201 visualizações

Seminário da gestão da UFSM quer amplificar dados da instituição

Primeiro encontro ocorreu com as entidades na quarta, 20 de abril, e deve ter continuidade com outros setores

Primeira reunião do seminário de planejamento acadêmico reuniu entidades representativas dos segmentos
Primeira reunião do seminário de planejamento acadêmico reuniu entidades representativas dos segmentos

Na quarta, 20 de abril, véspera do feriado de Tiradentes, a gestão da UFSM, através da Pró-reitoria de Graduação (Prograd), de Planejamento (Proplan), realizou o primeiro encontro do Seminário de Regulação e Planejamento Acadêmico, que reuniu as entidades representativas dos segmentos (Sedufsm, Assufsm, Atens, Sinasefe e DCE). O objetivo, conforme sintetizou o titular da Prograd, professor Jerônimo Tybusch, é reunir os dados existentes hoje na instituição sobre aspectos como ingresso, permanência, diplomação, pós-diplomação, colocá-los à disposição da comunidade acadêmica, aprofundando o debate sobre quais seriam os “pontos fracos” e “pontos fortes” a serem trabalhados.

Para que esse debate ocorra e envolva os vários setores da instituição, a reitoria já tem uma agenda de encontros que faz parte do seminário de regulação. De 27 de abril a 2 de junho, a ideia é que essas reuniões ocorram junto às unidades acadêmicas; no dia 15 de junho, a previsão é de que ocorra um encontro aberto com a comunidade acadêmica e, no dia 22 de junho, uma audiência pública com as comunidades de Cachoeira do Sul, Frederico Westphalen, Palmeira das Missões e Santa Maria.

Dentre algumas das interrogações levantadas durante a primeira reunião, na quarta passada, e que, na visão da gestão, precisam ser respondidas, estão: o sistema de ingresso na UFSM é democrático, inclusivo? Qual o tempo, em média, que o (a) estudante leva para concluir o curso? O currículo está adequado ao que demanda o mercado de trabalho? Como está a taxa de conclusão nos cursos? Como está a trajetória do egresso?

Durante a reunião do seminário também foi detalhado um aplicado desenvolvido pela UFSM, envolvendo a Prograd, Proplan e CPD, que é o “Integra”. A ferramenta reúne um painel com uma série de dados já existentes na instituição e que serviria de subsídio, especialmente às coordenações de curso, criando uma espécie de “observatório da evasão”. Além de integrantes das pró-reitorias, quem também esteve presente na atividade foi a vice-reitora, professora Martha Adaime.

Cuidado

No momento em que foi aberto para as representações das entidades se manifestaram, a primeira a falar foi Elisete Kronbauer (Atens). Ela destacou a importância das ferramentas apresentadas, mas alertou que é preciso “tomar cuidado”.

Para ela, as informações podem e devem ser bem usadas, mas, em áreas como nas ciências sociais, destacou, “têm coisas difíceis de mensurar” e que “não se deve medir com a mesma régua um curso antigo e um curso novo”. Também frisou que não se deve “cercear a criatividade e as habilidades”. Elisete questionou se esse tipo de proposta da reitoria pode impactar no trabalho, gerando mais demandas e sobrecarga laboral.

Em resposta à representante da Atens, o titular da Prograd, Jerônimo Tybusch, afirmou que as colocações eram “pertinentes”. Segundo ele, o objetivo não é aumentar as demandas, mas, pelo contrário, facilitar, pois organiza os dados já disponíveis. “Não está gerando mais sobrecarga, está facilitando”, sublinhou.

Luis Eduardo Boneti, do Diretório Central de Estudantes (DCE), preferiu destacar um dos eixos, que é o do ingresso. Para ele, o seminário vai possibilitar que se possa aprofundar o debate, trazendo dados da realidade nacional, o que poderá mostrar o quanto o modelo Sisu/ENEM foi afetado pela pandemia.

Diálogo positivo

Leonardo Botega, diretor da Sedufsm que participou do seminário, elogiou a iniciativa de diálogo da gestão. Para ele, a questão prioritária de 2022 não é o debate sobre a forma de ingresso, mas a questão da evasão da pandemia. Na constatação do diretor, há uma demanda represada, e é preciso pensar como planejar no curto, médio e longo prazo, como lidar com esse passivo pandêmico, para que aí, então, se possa efetivamente “voltar à normalidade”.

Ao elogiar a proposta da atual gestão da UFSM, Botega ressalta que “a comunidade acadêmica deve ser ouvida e protagonista”. E complementa: “A universidade não pode ser refém de interesses de grupos econômicos. Ainda mais em tempos onde tem sido constantemente atacada”, finaliza.

 

Texto e imagens (prints): Fritz R. Nunes
Assessoria de imprensa da Sedufsm

Fotos da Notícia

Primeira reunião do seminário de planejamento acadêmico reuniu entidades representativas dos segmentos

Compartilhe com sua rede social


© 2022 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041