MOBILIZAÇÃO CONTRA REFORMA ADMINISTRATIVA

Cartilha sobre a PEC 32


ATENDIMENTO DA SEDUFSM

A Sedufsm informa que desde o dia 20 de outubro de 2021 recomeçou o atendimento presencial na sede. Os (as) sindicalizados (as) devem entrar em contato pelo e-mail [email protected] ou pelo fone (55) 3222.5765 para fazer o agendamento da ida à sede.


Últimas Notícias

Espaço Cultural

Reflexões Docentes

Contatos SEDUFSM

(55) 3222 5765

Segunda à Sexta
08h às 12h e 14h às 18h

Endereço

SEDUFSM
Rua André Marques, 665
Centro, Santa Maria - RS
97010-041

Email

Fale Conosco - escreva para:
[email protected]

Twitter

SEDUFSM

Facebook

SEDUFSM

Youtube

SEDUFSM

Notícias

01/02/2016   01/02/2016 17h20m   | A+ A- |   2719 visualizações

Setor das Federais do ANDES-SN lutará contra desestruturação da carreira

35º Congresso aprovou plano de lutas dos setores: federais, estaduais e municipais

Helvio Mariano (Adunicentro-PR) é um dos docentes que representam as universidades estaduais
Helvio Mariano (Adunicentro-PR) é um dos docentes que representam as universidades estaduais

A última plenária temática do 35º Congresso do ANDES-SN realizada entre a noite de sábado (30) e a madrugada do domingo (31) aprovou os planos de lutas dos docentes dos setores das Instituições Estaduais e Municipais de Ensino Superior (Iees/Imes) e das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) para 2016. Os docentes deliberaram por conjunto de ações para intensificar a luta e também aprofundar a discussão sobre os desafios organizativos impostos pela multicampia, que é uma realidade de ambos os setores, e que tem suas especificidades em cada instituição.

No plano do Setor das Instituições das Federais de Ensino Superior (Ifes), os docentes aprovaram a pauta específica, atualizada, para a campanha 2016 e também a campanha conjunta com as demais categorias do serviço público federal, ressaltando a necessidade de articulação em âmbito local, das seções sindicais, com as demais entidades dos SPF nos estados.

As lutas pela abertura imediata de concursos e contratação via Regime Jurídico Único (RJU), pela anulação da reforma da previdência e contra a Fundação de Previdência Complementar dos Servidores Federais (Funpresp), pela revogação das leis que criaram a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e as Organizações Sociais (OS) e pela anulação de todas as ações decorrentes de tais leis, estão na pauta dos enfrentamentos de 2016.

Outra grande luta que a ser travada em 2016 será contra o aprofundamento da desestruturação da carreira docente, imposta pelo PL 4251/2015, que “altera a remuneração, as regras de promoção, as regras de incorporação de gratificação de desempenho a aposentadorias e pensões de servidores públicos da área da educação, e dá outras providências”.

Foi deliberado denunciar e lutar contra os efeitos deste PL, atualizar os estudos sobre as perdas salariais impostas pelo projeto e seus impactos para os aposentados e produzir materiais que explicitem as consequências nefastas do PL 4251/2015 sobre a carreira, o trabalho e o direito dos professores ativos e aposentados.

Agenda temática de mobilização

Os delegados aprovaram ainda uma agenda temática de mobilização. O mês de fevereiro será marcado pela defesa do caráter público das IFE e combate à Funpresp. Já março terá como pauta “Orçamento das IFE e a luta contra as OS”. O tema de abril será “Carreira docente, precarização e condições de trabalho” e de maio “Autonomia e Democracia”.

Para Gustavo Gomes, da delegação da Associação dos Docentes da Universidade Federal Fluminense (Aduff  SSind), as discussões do congresso servirão para instrumentalizar e armar a categoria para enfrentar um ano no qual o governo já anuncia uma série de ataques aos direitos dos servidores públicos, em especial aos docentes das federais.



Estaduais e Municipais

Seguindo a tradição no calendário de luta dos docentes das estaduais e municipais, os delegados aprovaram a realização da semana de luta do setor, entre os dias 23 e 27, em defesa de mais recursos para as instituições estaduais e municipais, bem como a realização, no segundo semestre de 2016, do XIV Encontro Nacional do Setor, na cidade de Salvador (BA), sob organização da Associação dos Docentes da Universidade Estadual da Bahia (Aduneb SSind).

Outros pontos destacados nos debates foram os desdobramentos da política ajuste fiscal que vem sendo promovida em vários estados e municípios, com o atraso no pagamento de salários e retirada de direitos sociais dos servidores, e a implantação de fundos de pensão estaduais, como já ocorreu no Paraná, por exemplo.  Os participantes reafirmaram a necessidade de intensificar a mobilização para barrar esses ataques e ainda de fazerem o levantamento da situação orçamentária e financiamento das IES para instrumentalizar a luta por mais verbas para as instituições.

Fonte: ANDES-SN

Fotos: Fritz R. Nunes e ANDES-SN

Assessoria de imprensa da Sedufsm

 

Fotos da Notícia

Helvio Mariano (Adunicentro-PR) é um dos docentes que representam as universidades estaduais O plano de lutas dos setores foi discutido durante a plenária do tema III

Compartilhe com sua rede social


© 2021 SEDUFSM
Rua André Marques, 665 - Centro, Santa Maria, RS - 97010-041