Sedufsm questiona proposta de mudanças em grupos de pesquisa da UFSM, encargos docentes e PGD SVG: calendario Publicada em
SVG: atualizacao Atualizada em 02/04/24 19h28m
SVG: views 254 Visualizações

Em reunião nesta terça, 2 de abril, com a Reitoria, ficou acertada audiência pública sobre questão dos grupos e espaço de pesquisa

Alt da imagem
Audiência da Sedufsm com o reitor, Luciano Schuch, e outros(as) integrantes da Administração

O presidente da Sedufsm, professor Ascísio Pereira, e a diretora de Comunicação, Neila Baldi, participaram de audiência com integrantes da Reitoria da UFSM na tarde desta terça, 2 de abril. A seção sindical entregou ao reitor, professor Luciano Schuch, a íntegra da nota do Grupo de Trabalho de Ciência e Tecnologia (GT C&T), que questiona a proposta de mudança em grupos e espaços de pesquisa da instituição, e também um documento com as contribuições resultantes do debate sindical em relação aos encargos docentes. Também estavam na pauta o PGD (Programa de Gestão e Desempenho) e o indicativo de greve.

Participaram do encontro, além do reitor, a vice-reitora, professora Martha Adaime, a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPGP), Cristina Wayne Nogueira, o também integrante da PRPGP, professor Leandro da Silva, e o assessor do gabinete do reitor, professor Hélio Hey.

O principal elemento que norteia o documento do GT C&T é, mais uma vez (o que já aconteceu em outros temas propostos pela reitoria), o pouco debate sobre mudanças de regras importantes, feitas em um período já ao final de ano, e com as contribuições por meio de consultas on-line. No caso das alterações nos grupos e espaços de pesquisa, o prazo para contribuições encerra nesta quarta, 3 de abril. A gestão da UFSM, no entanto, questionou “a falta de debate”, argumentando que foram realizadas reuniões no ano passado em todos os centros e campi. Ao final da reunião, acertou-se que será feita uma audiência pública com a PRPGP, chamada pela Sedufsm, sobre a minuta.

Leandro Souza da Silva, da PRPGP, explicou que o objetivo principal da resolução que está em fase final de discussão é a organização das estruturas internas relacionadas à pesquisa, saber quantos grupos existem e quais são os que realmente funcionam. Ele disse que, atualmente, não há um acompanhamento dos grupos de pesquisa da instituição.

O reitor, professor Schuch, complementou dizendo que a ideia é criar um regramento mínimo para o funcionamento desses grupos (sem excluir ninguém), dos espaços que utilizam, pois, segundo ele, alguns, apesar de se colocarem como “multiusuários”, não o são na prática e acabam por ter “donos”.

Silva também explicou que atualmente são 979 grupos inscritos na instituição, mas apenas 579 ativos no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq.  Disse ainda que os lideres de grupos de espaços multiusuários deverão ter produtividade equivalente à de um(a) pesquisador(a) nível E CNPq, não necessariamente ser um(a) bolsista produtividade CNPq – atualmente apenas 300 docentes estão nesta condição da UFSM.

Encargos docentes

Em relação ao documento entregue sobre os encargos docentes, a diretora da Sedufsm, Neila Baldi, explicou que ele resulta de um processo realizado ainda no último trimestre de 2023, quando o sindicato promoveu reuniões nos campi da UFSM e nas Unidades de Ensino, buscando subsídio de professoras e professores.

O professor Luciano Schuch ressaltou que as contribuições anteriores da Sedufsm já estão apensadas ao processo encaminhado, inicialmente, ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE), mas que foram devolvidos pelo órgão assessor. Agora, segundo o reitor, as novas contribuições também constarão do processo, e aquelas que forem acatadas, serão colocadas no texto da minuta. Uma das reivindicações da categoria é o limite máximo de horas em sala de aula. Schuch acredita que possivelmente em maio a questão dos encargos seja avaliada pelo Conselho.

PGD

No que se refere ao Programa de Gestão e Desempenho (PGD), Schuch discordou da nota divulgada pela Sedufsm criticando, entre outras coisas, a falta de debate sobre o tema. Segundo ele, a proposta a ser encaminhada aos conselhos superiores se relaciona apenas aos técnico-administrativos e foi dialogada com a Assufsm. O dirigente da UFSM enfatizou ainda que os(as) docentes só serão incluídos em uma proposta de PGD se houver um entendimento amplo da categoria. Mas, acrescentou que, na avaliação da gestão, o PGD daria respaldo legal às atividades que os(as) docentes já realizam em casa, como planejamento de aulas e produção de artigos. Também informou que, se houver, por parte do Ministério Público, a exigência do ponto eletrônico para docentes da carreira EBTT, o PGD será implantado para esse segmento.

Ao final da reunião, a diretoria da Sedufsm falou do indicativo de greve e convidou a todos e todas a participar da assembleia, que será segunda-feira, a partir das 8h30, no auditório do CCR.

 

Texto e fotos: Fritz R. Nunes
Assessoria de imprensa da Sedufsm

SVG: camera Galeria de fotos na notícia

Carregando...

SVG: jornal Notícias Relacionadas

Sede da Sedufsm não terá atendimento ao público nesta terça-feira no turno da tarde

SVG: calendario 15/04/2024
SVG: tag Sedufsm
Motivo é que funcionários(as) estarão dando suporte à assembleia docente no campus sede, em Camobi

Docentes fazem paralisação nesta terça-feira, 16 de abril

SVG: calendario 15/04/2024
SVG: tag Sedufsm
Programação do estado de greve prevê ato no arco, plenária e assembleia geral

GT Carreira do ANDES-SN discute mesa de negociação com o governo

SVG: calendario 15/04/2024
SVG: tag Sedufsm
Implantação de uma carreira única no magistério é um dos temas

Veja todas as notícias