Assembleia docente da UFSM aprova adesão à greve nacional SVG: calendario Publicada em
SVG: atualizacao Atualizada em 23/04/24 17h36m
SVG: views 2252 Visualizações

Movimento grevista inicia oficialmente na próxima quinta, 25 de abril, às 12h

Alt da imagem
Plenária, em Santa Maria, ocorreu no Auditório Flávio Miguel Schneider (CCR)

Em assembleia ocorrida de forma simultânea na manhã desta segunda, 22, em todos os campi da UFSM- Santa Maria, Cachoeira do Sul, Palmeira das Missões e Frederico Westphalen- as e os docentes da instituição aprovaram a adesão à greve nacional das Instituições Federais de Ensino iniciada no dia 15 de abril. Após comunicado à reitoria nesta tarde, o movimento paredista inicia na quinta, 25 de abril, ao meio-dia, prazo necessário para o cumprimento legal de 72h até o início.

A deliberação ocorreu após intenso debate na assembleia, na qual diversas manifestações criticaram a proposta do governo apresentada na reunião da mesa específica temporária com o Ministério da Gestão e Inovação (MGI), realizada na última sexta, 19 de abril. Houve o entendimento de que apesar de se reconhecer avanço na negociação, a proposta ainda é vista como insuficiente na medida em que segue prevendo reajuste zero em 2024, deixando de fora docentes aposentados(as), além de não atender outros pontos específicos da pauta de reivindicações. Assim, foi apontado ao Comando Nacional de Greve do ANDES-SN que seja rejeitada a proposta governamental.

O resultado da votação: 174 votos favoráveis à greve, 48 votos contrários e 4 abstenções. Dessa forma, as e os docentes da UFSM saem do “estado de greve” e deflagram greve por tempo indeterminado. Acompanhe a votação por campus:

Santa Maria

157 votos a favor; 25 votos contra e 4 abstenções;

Cachoeira do Sul

6 votos a favor e nenhum contrário.

Palmeira das Missões

2 votos a favor e 10 contra.

Frederico Westphalen

9 votos a favor e 13 contra.

Mobilização intensificada

Após o fim da plenária, a vice-presidenta da seção sindical, professora Marcia Morschbacher, avaliou positivamente o resultado. Segundo ela, ficou perceptível o crescimento da mobilização, tanto na UFSM quanto em nível nacional. “Fizemos nas duas últimas semanas uma agenda intensa de mobilização, junto com o Comando de Greve, passando em sala de aula, em reuniões de departamento, conversando com a categoria, o que culminou na grande participação na assembleia desta segunda-feira (22)”, destacou ela.

Ainda conforme a diretora da Sedufsm, a ampliação da participação docente também resulta da proposta que o governo apresentou, na sexta (19), que não responde às demandas levantadas pelo movimento docente (veja o resumo da proposta ao final do texto). “Então, na prática, o debate expressou esse descontentamento da categoria, ao mesmo tempo em que mostrou uma disposição de se mobilizar e lutar para aumentar a pressão sobre o governo federal para que atenda às reivindicações específicas de professoras e professores, mas abrangendo também outras questões, como por exemplo, a recomposição do orçamento das Instituições Federais de Ensino.”

Comissão de Ética

A assembleia ainda aprovou uma Comissão de Ética da Greve. O objetivo do trabalho dessa comissão, inicialmente composta por três docentes, é avaliar situações que às vezes aparecem em períodos de paralisação, como por exemplo, analisar quais serviços efetivamente são essenciais e devem continuar funcionando. Além disso, é papel da comissão, também, se debruçar sobre casos de eventuais denúncias de assédio moral.

Reivindicações

Em relação à questão salarial, a reivindicação de professores/as federais é de que o governo negocie as perdas que vêm pelo menos desde o governo de Michel Temer (setembro de 2016) até dezembro de 2023, acrescidas das projeções inflacionárias de 2024 e 2025. A categoria dos(as) professores(as) está incluída no Bloco II, que pleiteia um índice de 22,71% de recomposição, dividido em três parcelas de 7,06%, respectivamente em 2024, 2025, 2026.

Mas, a pauta apresentada pelo Fórum das Entidades de Servidores Federais (Fonasefe), do qual o ANDES-SN faz parte, não se resume a itens econômicos. Para acessar ao restante da pauta, clique ao final do texto, em documentos (ou aqui.)


Entrega do comunicado de greve à reitoria nesta tarde de segunda-feira

Proposta do MGI

Na última sexta, 19 de abril, o Ministério da Gestão e Inovação (MGI) apresentou uma nova proposta ao ANDES-SN, Fasubra e Sinasefe, que não contempla o conjunto das reivindicações desses segmentos. Veja um resumo abaixo.

Salário

O governo insistiu em 0% de reajuste para docentes do Magistério Federal em 2024. Como contrapartida, prometeu reajuste de 9% apenas em 2025 e 3,5% para 2026.

Benefícios

Na proposta apresentada pelo Executivo, manteve-se os valores de reajuste dos benefícios: o auxílio-alimentação passa de R$ 658 para R$ 1.000; a assistência pré-escolar de R$ 321 para R$ 484,90 e o valor per capita da saúde suplementar, dependendo do escalonamento, pode ser reajustado em 51%. Com isso, para 2024, o governo continua prejudicando, especialmente, aposentados e aposentadas.

Carreira

A proposta avança com timidez sobre aspectos da carreira docente, especificamente no que diz respeito a progressões e promoções. O que se propõe é alterar os percentuais de step – a diferença salarial recebida pelo docente toda vez que progride na carreira - o percentual passaria dos atuais 4% para 4,5%.

IN 66/22

Respondendo outro ponto da pauta, a revogação da Instrução Normativa 66/22, o governo propôs a garantia do prazo de até 6 meses para pedidos de progressão/promoção sem perder a retroatividade, respeitando os critérios estabelecidos em cada instituição. No entanto, o governo não garantiu o reconhecimento do tempo trabalhado entre a implementação da Instrução até a revogação da IN 66/22. 

Ponto eletrônico EBTT

No que diz respeito à retirada do ponto eletrônico – pauta de grande importância para o magistério do Ensino Básico Técnico e Tecnológico (EBTT), o governo aceita a retirada. Porém, sem garantia da revogação da Portaria 983/2020, que resultou na elevação da carga horária de ensino para EBTTs.

Resumo da proposta do governo em uma imagem

Texto: Fritz R. Nunes com informações do ANDES-SN
Fotos: Italo de Paula/Karoline Rosa
Assessoria de imprensa da Sedufsm

SVG: camera Galeria de fotos na notícia

Carregando...

SVG: arquivo-download Documentos

- Contraproposta protocolada pelo Fonasefe

SVG: jornal Notícias Relacionadas

Reunião com o governo federal traz alguns avanços

SVG: calendario 14/06/2024
SVG: tag Greve 2024
Encontro aconteceu na manhã desta sexta, 14, no MEC, em Brasília

14 de junho: Dia Nacional de Luta e mobilização pela efetiva negociação

SVG: calendario 13/06/2024
SVG: tag Greve 2024
Na UFSM haverá vigília na sede da Sedufsm e, em Brasília, presença de caravanas com marcha de grevistas

Comando Local de Greve divulga nota de repúdio

SVG: calendario 12/06/2024
SVG: tag Greve 2024
A greve, a PROGRAD e a banalização do assédio

Veja todas as notícias