Em tempos difíceis, a música que acalenta a alma SVG: calendario Publicada em
SVG: atualizacao Atualizada em 28/06/24 12h31m
SVG: views 436 Visualizações

Professora Fabiana Pereira indica ver e ouvir os talentos de ‘Casa Ramil’

Alt da imagem

A música, por si só, já acalenta a alma em tempos difíceis. Ainda mais quando é de qualidade e nos remete a períodos da infância e suas histórias envolvidas. É dessa forma que a professora Fabiana Pereira, do departamento de Ciências da Comunicação da UFSM em Frederico Westphalen, refere-se à sugestão para que todos/as possam ver e ouvir: a junção de músicos e musicistas da família dos pelotenses Kleyton, Kledir e Vitor Ramil. ‘Casa Ramil’, disponível em plataformas como Youtube e Spotify, é a dica cultural desta sexta, 28 de junho.

De volta à Casa Ramil

Em tempos de calamidade pública e de muita tristeza pelo Rio Grande afora, topar com o show ‘Casa Ramil’ foi um acolhimento na alma. A música, por si só, já acalenta as angústias de tempos difíceis, assim como completa a energia dos dias alegres. Mas, neste caso, do caos em que nos encontramos (muito mais os diretamente atingidos, mas todos estamos envolvidos), ter um pouco de calmaria é providencial. O show ‘Casa Ramil’, que pode ser acessado pelo Youtube, teve estreia em 2018, quando também foi gravado o álbum ao vivo, disponível no Spotify.

Mas, para apresentar melhor, ‘Casa Ramil’ é um projeto artístico que reuniu num mesmo palco vários integrantes da família Ramil, entre eles, a primeira geração de músicos – Kleiton, Kledir e Vitor Ramil. Dessa primeira geração também no espetáculo, a produtora Branca Ramil com a coordenação geral. No palco, já da segunda geração de artistas, podemos ver Ian (filho de Vitor), João (filho de Kledir), Gutcha e Thiago (filhos de Katia, irmã que não é artista). E ainda contou com a participação de Karina na direção de cena e Kaio na produção (ambos filhos de Kleiton). Chris (filha de Kleber, outro irmão que não é músico) assina o projeto gráfico, junto com Isabel (filha de Vitor) que também é responsável pelos vídeos e iluminação.

Talento não falta à família pelotense. E o repertório envolve o público com um passeio no que eu chamaria de ‘texturas musicais’, com o perdão dos professores e pesquisadores da área. Cada música, com sua autenticidade, para além da voz, traz a sonoridade de instrumentos diversos como violões, violinos, percussão, com destaque para raviola e rabeca. Entre as obras, estão as muito conhecidas, “Estrela Estrela” e “Ramilonga” de Vitor Ramil e “Deu pra ti’ e “Noite de São João” de Kleiton e Kledir. Mas é para a última música do show que me debruço: “Deixando o pago”, de autoria de Vitor Ramil e João da Cunha Vargas. Oportuna para trazer de longe as lembranças de quem viveu uma infância com incursões na casa dos avós, durante as férias, em meio ao campo, o gado e as lidas da campanha.

Diz a letra: “Alcei a perna no pingo/ E saí sem rumo certo/ Olhei o pampa deserto/ E o céu fincado no chão/ Troquei as rédeas de mão/ Mudei o pala de braço/E vi a lua no espaço/ Clareando todo o rincão”, em referência às origens de quem no RS teve morada na campanha, alimentando as saudades da família reunida, com o mate ao pé do fogo, o churrasco na grelha de chão tostado no fogo à lenha. Que seja inspiração para tantas outras lembranças, das inúmeras infâncias que marcam as diferentes regiões, mesmo que no mesmo estado.

E encerro: “Como é linda a liberdade/ Sobre o lombo do cavalo/ E ouvir o canto do galo/ Anunciando a madrugada/ Dormir na beira da estrada/ Num sono largo e sereno/ E ver que o mundo é pequeno/ E que a vida não vale nada”. Ficou com vontade de saber mais? Sugiro a leitura completa do conteúdo da jornalista Lucia Mattos, no link https://luciamattos.com/a-estreia-da-casa-ramil/ que fez uma incursão sobre a família e o surgimento do projeto. Fica o convite de voltar à “Casa Ramil” através das plataformas Youtube ou Spotify e viver momentos de paz para recarregar as energias e enfrentar a realidade que, bem sabemos, não tem sido ‘um sonho’.”

Para acessar no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=NqgCeCLkPHQ )

Para acessar no Spotify: https://open.spotify.com/intl-pt/album/5uoXe7p46gSU0YV0mzArcN?si=ptvM7zPcQn6_xio-AWvCLg ).



Fabiana Pereira

Professora do Curso de Relações Públicas e lotada departamento de Ciências da Comunicação da UFSM/Campus de Frederico Westphalen.


Imagens: Divulgação e arquivo pessoal
Edição: Fritz R. Nunes (Sedufsm)

 

SVG: camera Galeria de fotos na notícia

Carregando...

SVG: jornal Notícias Relacionadas

Um sábado para ouvir “Rock na Concha” em Santa Maria

SVG: calendario 12/07/2024
SVG: tag Cultura
No Dia Mundial do Rock, três bandas se apresentam na Concha Acústica do Parque Itaimbé

Uma oportunidade para conferir a cultura popular no teatro

SVG: calendario 05/07/2024
SVG: tag Cultura
Evento ‘Danças populares no coração do Rio Grande’ poderá ser visto no Theatro 13 de Maio na quinta, 10 de julho

Um livro para lembrar da Boate do DCE e de Júpiter Maçã

SVG: calendario 21/06/2024
SVG: tag Cultura
Professor José Marcos Froehlich comenta a leitura de “Um lugar do caralho”

Veja todas as notícias